Conheça as dicas de sete profissionais que passaram um total de três anos e 216 dias no espaço e que ajudam a manter a mente saudável em tempo de distanciamento social.

As experiências dos astronautas no espaço não são tão diferentes daquelas que as pessoas têm vivido em casa. Os astronautas orbitam o planeta a cada 90 minutos e conseguem ver o nascer e o pôr do sol a cada 45 minutos. Se não permanecerem atentos, os seus dias podem parecer confusos. Em comparação com o que se tem sido experimentado na Terra, o trabalho e os espaços pessoais a bordo da nave e da Estação Espacial Internacional são semelhantes. Estes profissionais vêem as mesmas pessoas 24 horas por dia durante semanas e, às vezes, meses. Isso reflete a realidade atual da pandemia do coronavírus.

Embora cada um tenha tido uma experiência distinta no espaço, há tópicos comuns ao longo de todas as histórias. Temas como rotina, estrutura, atividade física e ter um período de silêncio ajudaram cada astronauta a saber lidar com as adversidades quer no espaço quer na Terra.

Conheça as dicas que sete profissionais, que passaram um total de três anos e 216 dias no espaço, partilharam na Forbes e que ajudam a manter a mente saudável em tempo de distanciamento social.

Charlie Camarda

1. Charlie Camarda
Dias no espaço: 13
Ocupação: engenheiro de pesquisa

Tenha humor e empatia
Antes de qualquer lançamento, a equipa designada geralmente treina em conjunto entre seis meses a um ano e meio. Parte desse treino é o de expedição, no qual os astronautas são colocados em condições extremas para entender melhor o seu comportamento a seguir durante missões de longa duração. Assim, é possível conhecer realmente a equipa. Esta situação não difere da família com a qual se convive no isolamento social. Os tempos podem ficar tensos em situações de alto stress. “Eu gosto sempre de usar o humor para neutralizar as circunstâncias tensas à medida que elas surgem. É preciso estar atento a todos os outros membros do grupo, de modo a ter a empatia de melhorar o humor de qualquer um que esteja deprimido e saber quando lhe dar um tempo de silêncio e apoio”, explica.

Foque-se no treino
Os astronautas estão extremamente focados na sua missão e podem manter-se com adrenalina nas expedições mais curtas. A resiliência da equipa é essencial para qualquer viagem. “Ser capaz de fazer malabarismos com as múltiplas exigências de maneira eficaz é um desafio, especialmente com o stress adicional de se tentar manter a si e a todos ao redor saudáveis ​​e seguros. Comprometa-se com o seu treino”, aconselha.

2. Michael López-Alegría
Dias no espaço: 257
Ocupação: piloto

Tenha linhas de demarcação
Quando se trabalha em quartos apertados, é importante separar o espaço pessoal do de trabalho. “Os nossos alojamentos são os espaços onde dormimos e colocamos os nossos pertences pessoais. É importante não voltar para lá até a hora de dormir. As linhas de demarcação são essenciais. Trabalhe apenas num espaço específico ou designe um determinado local que não é para o trabalho”, afirma.

A rotina é a chave
“Levante-se diariamente à mesma hora e siga uma rotina. Tome banho, vista-se e comece o seu dia. Este é um sinal fisiológico para o seu corpo que está a agir, a fim de fazer o seu trabalho. É certo que é um desafio para quem tem crianças pequenas em casa”, lembra.

3. Mae Jemison
Dias no espaço: 8
Ocupação: médica, engenheira, cientista social e educadora

Controle as distrações
Na espaçonave, o dia tem rotinas, há procedimentos e processos a seguir. Em casa, sob distanciamento social, precisamos de dar estrutura aos nossos dias e de controlar as nossas respostas a estímulos aleatórios. “Enquanto trabalhamos remotamente, os dias podem demorar muito a passar, pois não há uma diferenciação de ambientes e de deslocação que definam claramente a programação. O lado positivo é que posso estar extremamente concentrado, mas o negativo é que o meu treino físico tende a durar longas horas e a interromper o sono. Não é particularmente bom durante longos períodos”, revela.

Reserve e tire proveito do tempo livre
“Mesmo no espaço, temos tempo de lazer e é importante honrá-lo. Esse é o momento em que não é preciso ser produtivo”, aconselha.

4.  Sandy Magnus
Dias no espaço: 157
Ocupação: engenheiro

Sintonize-se no mindset da missão
Entre no “mindset da missão”, reconhecendo que apenas terá de lidar com o desafio atual. Esta é uma oportunidade para as pessoas descobrirem quem são e o que as stressa. É uma viagem de autodescoberta, portanto, encontre o que alivia o seu stress. “A mim alivia-me a atividade física, pois permite-me manter uma resiliência maior durante situações irritantes da vida. Trabalhe em formas de atenuar o que o deixa irritado. Pense no que precisa para ter sucesso. Na atual situação de distanciamento social, as pessoas têm mais liberdade do que os astronautas no espaço. na Terra, podemos pedir pizza. No espaço, aprendemos a lidar com o que temos disponível”, revela.

Reserve um tempo para socializar
“Quando trabalha, está completamente focado na tarefa em questão. Encontrar tempo para participar em atividades sociais ajuda a descontrair. No espaço, a equipa fazia as refeições e assistia em conjunto a filmes”, conta.

5. Garrett Reisman
Dias no espaço: 107
Ocupação: engenheiro

A confiança é o segredo
A ansiedade, impulsionada pelas más notícias e pelo fato de ficar preso em casa e permanecer apreensivo, pode ser avassaladora. É possível que este tipo de situações também aconteça no espaço, se deixar que isso o afete. Se permitir que a ansiedade e o medo diminuam a sua confiança e que a dúvida surja na a sua mente, a sua capacidade de agir e apresentar um bom desempenho pode ser afetada. A confiança é fundamental, não o excesso dela. “Eu ensino aos meus alunos de voo que, se eles estiverem a lidar com uma emergência na aeronave, precisam de acreditar que são o Han Solo, o piloto mais extraordinário que já existiu. Mesmo que não seja verdade, é preciso acreditar no momento”, destaca.

Redefina as suas expetativas
“A expressão `cérebro espacial´ relaciona-se a uma experiência desafiadora para se concentrar quando se está no espaço. Podem surgir problemas de perda de memória recente e muitas distrações num ambiente diferente. Aqueles que estão a enfrentar desafios para serem produtivos devem redefinir as suas expectativas. Durante algum tempo, isto incomodou-me e fez-me ter dificuldade em adormecer. Se for aquele tipo de pessoa que consegue ter muita autoestima ao realizar tarefas, com certeza está a enfrentar um desafio. Agora é importante diminuir as expectativas e ser feliz com as pequenas vitórias. Redefina a produtividade”, aconselha.

6. Nicole Stott
Dias no espaço: 104
Ocupação: artista e engenheira

Aprecie o valor das novas perspetivas
“Como astronautas no espaço, encontramos a nossa relação com o lar e a natureza através das janelas da nossa espaçonave e das vistas à Terra. Reserve um tempo para olhar à sua volta, em direção ao que se acostumou e redescubra isso de uma nova maneira. Faça para encontrar uma ligação com as pessoas e a natureza de uma maneira que o ajude a entender melhor a sua interconectividade e interdependência. Ao fazê-lo, podemos encontrar maneiras de nos sentirmos ainda mais conectados, não importa onde estivermos”, explica

Viva como uma tripulação vive
“É essencial perceber que o contexto atual é maior do que qualquer um de nós e o quanto é importante que todos façam a sua parte para manter a humanidade segura”, revela, acrescentando que “espero que aprendamos a lição de que podemos trabalhar juntos desta nova maneira, a fim de solucionar qualquer um dos nossos desafios planetários”.

7. Peggy Whitson
Dias no espaço: 665
Ocupação: bioquímica

Transforme as tarefas numa competição
“A bordo da estação espacial, o controla da missão enviou uma lista de tarefas e uma linha do tempo no decorrer da qual tudo precisava de ser realizado. Para não me cansar de fazer certas obrigações, desafiava-me a concluí-las mais rapidamente. Isso foi especialmente útil para concluir tarefas monótonas, como descarregar cargas. Encontrei uma maneira de torná-las mais emocionantes, esforçando-me para ver se poderia concluí-las mais rapidamente do que qualquer outra pessoa”, conta.

Lembre-se do seu propósito maior
“Além do trabalho e das experiências críticas que realizamos, muitas tarefas diárias precisavam de ser feitas para manter a estação espacial funcional. Mesmo ao cumprir exigências sem glamour, como arranjar a banheira ou limpar a comida das paredes, percebemos que estávamos a contribuir para um propósito maior ao manter a estação espacial num bom estado, o que ajuda na execução da missão. Fizemos o que era preciso. No isolamento que temos enfrentado neste momento, o objetivo maior é salvar vidas e lembrar que este ponto-chave ajuda-nos a focar e a darmos um propósito, mesmo que às vezes pareça entediante”, revela.

 

Comentários