Os dados são de um novo estudo ao mercado laboral português. 82% dos empregadores mostram intenção de recrutar novos colaboradores durante este ano.

Ontem, 20 de fevereiro, a HAYS, multinacional de serviços de recrutamento e recursos humanos, deu a conhecer o seu guia do setor laboral para 2019. O objetivo da iniciativa é compreender o mercado de trabalho qualificado em Portugal. O estudo teve como base as respostas de 3.136 profissionais qualificados, 603 empregadores nacionais e o conhecimento de mercado dos consultores da organização.

As empresas continuam a ter dificuldade em encontrar profissionais qualificados

No que diz respeito às barreiras do mercado de trabalho, 53% dos empregadores referem continuar com dificuldades em encontrar profissionais qualificados para ocupar as funções em aberto. Neste sentido, um dos pontos mais relevantes é o facto de 62% das empresas considerarem que as instituições de ensino não preparam os profissionais para o mercado de trabalho de forma adequada.

Os números apresentados pela HAYS apontam também para a desadequação entre a oferta de profissionais e as vagas disponíveis (49%) e a pouca articulação entre o sistema de ensino e as empresas (37%).

Principais dificuldades do mercado de trabalho, segundo os empregadores

Principais dificuldades do mercado de trabalho, segundo os empregadores. (fonte: Guia do Mercado Laboral 2019 – HAYS).

Empresas com aumentos salariais sobem 24% nos últimos quatro anos

O ano passado trouxe resultados positivos às empresas portuguesas. Apesar de 13% dos inquiridos indicar que os objetivos para 2018 não foram cumpridos, 66% frisaram que este estiveram em linha com as expetativas e 21% dizem ter sido acima daquilo que previram no início do ano.

Os indicadores positivos não ficam por aqui. 74% das organizações afirmam ter aumentado o salário aos colaboradores em 2018, um aumento de 24% face a 2015, e 48% dizem ter feito promoções. 87% das empresas afirmarem também ter empregado novas pessoas.

Mesmo nos indicadores negativos não houve nenhuma subida. 36% diz ter feito despedimentos, 6% congelamentos salariais e apenas 2% diz ter reduzido os benefícios.

Quer ser promovido? Melhore a sua performance

Tendo em consideração que 48% das organizações promoveram os seus colaboradores, coloca-se a questão: quais são os principais motivos que levam os líderes das firmas a fazer isto?

Neste campo, os principais fatores são a performance do colaborador (72%), a necessidade de o motivar (33%), o crescimento do negócio (31%) e a reestruturação interna (31%).

Por outro lado, os participantes dizem ter despedido trabalhadores devido ao facto da performance não estar em linha com as expetativas (60%), à reestruturação de equipas (39%), à sazonalidade do negócio (15%) e ao fim de projetos de caráter temporário (14%).

Retenção e atração de talento continuam a ser as principais dificuldades 

As dificuldades dos departamentos de RH continuam a ser a atração e a retenção de talento. Estas barreiras levam as empresas a recrutar pessoas menos adequadas às necessidades da função (65%), a desistir do recrutamento e optar por recursos internos (41%), a sofrer algum tipo de quebra na performance ou resultados esperados (25%) e a adiar ou travar a concretização de projetos (23%).

Principais dificuldades de gestão de recursos humanos

Principais dificuldades de gestão de recursos humanos. (fonte: Guia do Mercado Laboral 2019 – HAYS).

Leia o artigo de opinião “Quer reter talento? Desenvolva uma organização com propósito!” de Anabela Possidónio.

82% dos empregadores pretendem recrutar em 2019

Os números referidos na pesquisa da HAYS apontam para que 82% dos empregadores tenham intenção de recrutar em 2019 – um número mais otimista quando comparado a outros estudos.

Ao contrário do ano passado, em que foram as grandes empresas nacionais a comandar a intenção de recrutamento, este ano, serão as multinacionais que estarão mais proativamente à procura de novos talentos.

Comentários

Sobre o autor

Avatar