Já ouviram a expressão snackable content? O conceito defende que os artigos mais curtos são preferíveis aos mais longos, de forma a atrair a atenção e manter o interesse da audiência. Ou seja, as marcas e as empresas devem criar conteúdos de consumo rápido e suficientemente apelativos para serem partilhados.

A razão é simples: de acordo com o National Center for Biotechnology Information, o tempo médio de atenção por pessoa baixou de 12 segundos em 2000 para 8,25 segundos em 2017. Além disso, a forma como consumimos informação tem vindo a mudar.

Hoje em dia, as redes sociais promovem uma maior partilha e o acesso via mobile tem vindo a ganhar expressão e a moldar o formato dos conteúdos. Também o consumo online de vídeos aumentou consideravelmente.

O desafio que se impõe às marcas é grande, pois implica trabalharem as mensagens de forma apelativa, sucinta e eficaz, abrindo o apetite para os seus produtos, serviços, causas ou projetos, mas com pequenas doses de informação.

5 dicas para desenvolver conteúdos de fácil consumo:

  1. Conheça os hábitos da audiência – Em Portugal, cerca de 5,2 milhões de pessoas são utilizadores ativos de redes sociais através do mobile, de acordo com os dados da We are Social & Hootsuite (2017). Na realidade, a nível europeu, existem 40% de utilizadores ativos nas redes sociais via mobile. Como tal, se a maioria da sua audiência escolher o mobile, já pensou se está a fornecer os melhores conteúdos interativos nas suas plataformas digitais?
  2. Aposte em títulos atrativos – Um bom título tem uma melhor performance, já que, em média, oito em cada dez pessoas leem o título de um artigo, mas apenas duas clicam no link para o continuar a ler. Ou seja, é necessário motivar os consumidores para agir. Por esse motivo, os títulos devem ser apelativos e adotar uma linguagem positiva, responder a uma necessidade, solucionar um problema ou revelar novos factos.
  3. Crie vídeos – Esta é uma das tendências para melhor cativar o interesse da sua audiência. Lembre-se de que deve concentrar as imagens mais apelativas nos primeiros 10 segundos, de forma a atrair a atenção e levar o seu público a ver o vídeo até ao fim, não devendo exceder três minutos de duração. Além disso, certifique-se de que a mensagem seja entendida visualmente, caso o vídeo seja visto sem som.
  4. Invista no storytelling – Mais do que debitar informação, aposte em conteúdos que interajam com a sua audiência, convidando-os a fazer parte de uma experiência, acontecimento ou aventura, através de short stories, como realizar uma visita pelos bastidores de uma produção, apresentar um novo lookbook, fazer um tour interativo, despertar o interesse com um teaser, mostrar como fazer algo (how to do), divulgar uma entrevista ou promover um evento em tempo real.
  5. Respeite a regra 80/20 – Tendo em conta o volume de informação, a rapidez de leitura e a reduzida atenção dos seguidores nas redes sociais, invista em posts cujo conteúdo seja 80% visual (imagem ou vídeo) e apenas 20% de informação. Um bom exemplo são os infográficos, os vídeos e as fotos com um breve texto.

Tendo em conta a velocidade com que se consome informação e a dispersão da atenção das audiências nas várias redes sociais, é importante garantir que os seus conteúdos são curtos e snackable, ou seja, rápidos de consumir e de digerir. Por isso, vale a pena avaliar se é melhor investir num bom teaser para abrir o seu apetite, levando-os depois para um artigo mais extenso, ou apostar num conteúdo que capte o interesse nos primeiros 8,25 segundos. Em que conteúdo vai apostar?

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Rita Carvalho é consultora de Comunicação e Imagem. Autora do livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo”, é licenciada em Relações Públicas, tem uma pós-graduação em Comunicação e Gestão Das Organizações, e o curso de Imagem Pessoal e Profissional da Blossom... Ler Mais