Encontrar as melhores soluções para aproveitar as potencialidades das equipas que gerem é uma das grandes tarefas de um líder. O processo nem sempre é fácil, mas o guia da Google dá algumas dicas.

Mais produtividade, melhores ideias, mais eficiência, maior economia de custos…. Estes são alguns dos muitos objetivos que os líderes perseguem. Os melhores encontram sempre maneiras de alcançar estes objetivos, aproveitando em pleno as potencialidades das equipas, e de cada um dos colaboradores individualmente, que lideram. A Google, através do seu guia online, partilha algumas dicas sobre como um líder pode tirar o melhor partido dos colaboradores que gere. Escolhemos quatro pontos como exemplo de alguns dos procedimentos que um gestor pode implementar.

1. Não faça microgestão, mas macrogestão
O guia do Google incentiva os gestores a delegarem o trabalho nas equipas. Mas com um alerta: delegar efetivamente e não despejar trabalho.

A verdade é dá trabalho delegar e os melhores líderes investem o que é preciso para o fazer de forma correta. Para ser eficaz nesta missão, o líder deve estabelecer metas, prazos e medidas claras para o trabalho que está a delegar. Implica explicar o que esse trabalho envolve, fornecer orientações sobre como superar os obstáculos que possam surgir e disponibilizar os recursos para que o trabalho seja bem feito e os objetivos alcançados. Ou seja, delegar não significa que o gestor se limite a passar o trabalho e depois a fazer controlo final. Requer disponibilidade para fazer coaching durante o processo e avaliações regulares para ajudar a colaborador a seguir o melhor caminho. Isso significa que percebe realmente o que está por detrás do trabalho que delegou e antecipar problemas. Envolve saber definir prioridades para alocar os recursos certos em cada etapa do trabalho que está em causa.

2. Dê liberdade, mas acompanhe os processos
Este equilíbrio é complicado de fazer, mas é extremamente poderoso quando o consegue pôr em prática. Os melhores líderes sabem que as pessoas têm muito mais energia para suas próprias ideias do que quando são instruídas a seguir a ideia do chefe. Por isso é importante não só deixar as pessoas executarem as suas ideias, como também mostrar um entusiasmo genuíno por elas.  Ajude fornecendo informações, recursos e contactos para os ajudar a progredir, organizando reuniões com as pessoas certas quando chegar altura  do funcionário vender a ideia.

Mas se em algum momento deste processo perceber que a ideia está a tornar-se num desastre, é igualmente importante saber pôr fim ao projeto, se fizer isso com o espírito certo. Explique claramente porque razão a ideia não está a funcionar, reveja com o funcionário o caminho percorrido e incentive-o a voltar à carga e a desenvolver a próxima ideia com sucesso.

3. Mostre que confia e acredita na equipa
Imagine-se, enquanto gestor, a participar numa reunião e dizer ao resto do grupo que um determinado colaborador presente está mais do que qualificado para prosseguir a reunião e que a sua presença não é necessária. Nada melhor para mostrar ao funcionário e ao grupo a sua confiança. Essa atitude não só valoriza a pessoa em questão, como também transfere para o colaborador empenho para não dececionar e mostrar que a confiança era merecida.

4. Divulgue e promova as realizações da equipa
Os melhores líderes devem assegurar-se de que os esforços e as realizações da sua equipa não passam despercebidos. Devem partilhar os objetivos alcançados com a organização, reforçando o quanto cada membro da equipa foi importante nesse processo.

Comentários