A ergonomia do escritório em casa e o stress relacionado com pandemia podem causar problemas de saúde. Saiba como manter a mesma produtividade sem perder em saúde e alegria, mas… à distância.

O trabalho remoto tornou-se numa constante para a maioria das empresas. Se no início parecia ser positivo para todos os envolvidos, com o passar do tempo começaram a aparecer problemas. Os especialistas alertam para o aumento do risco de lesões e problemas de saúde relacionados com o trabalho em casa, desde dores nas costas a fraturas de dentes.

Nos Estados Unidos, uma pesquisa da seguradora Chubb, revelou que, desde o momento em que o teletrabalho se tornou mais constante, registou-se um aumento de dores de costas, pescoço ou ombro, ou mesmo o aparecimento de novas dores. São cada vez mais os funcionários que trabalham a partir de casa que acusam um agravamento ou o aparecimento de dores musculares e articulares, com consequências na produtividade.

Embora existam lesões musculares e articulares provocadas pelo trabalho no escritório, trabalhar a partir de casa em posições pouco confortáveis e pouco ergonómicas como recostado na cama ou sofá, dobrado no balcão da cozinha, podem agravar problemas existentes, provocando mais dor e danos longo prazo. Muitas maleitas podem advir do uso prolongado do computador em posição incorreta. Usualmente os portáteis estão mais baixos do que o olhar e o utilizador deve olhar para o ecrã  – o peso da cabeça afeta o pescoço e as costas. Além disso, o uso mais frequente do trackpad em vez de um rato pode causar maior esforço e dor no pulso.

Para que possa evitar alguns destes problemas e adotar um local de trabalho mais ergonómico em casa, o Inc. partilhou algumas sugestões.

1. Dar o exemplo e reforçar os lembretes
Não é possível obrigar nenhum funcionário a optar por uma cadeira com apoio para as costas em vez de estar sentado no sofá. Mas é importante recordar estas e outras sugestões úteis para melhorar a postura no trabalho em casa, tais como elevar o ecrã do computador à altura dos olhos, usar teclado e rato separados e colocados numa mesa à altura do cotovelo, estar sentado com os pés bem colocados no chão ou num apoio para os pés e mudar de posição ao longo do dia. Além de verificar regularmente a ergonomia do trabalho, é importante dar o exemplo.

2. Rever as políticas de trabalho remoto da empresa para incluir ergonomia
É importante preparar sessões de formação para toda a empresa, assim como recursos como listas de verificação de autoavaliação ou consultas virtuais individuais com um ergonomista, para ajudar os funcionários a preparar o seu local de trabalho de forma adequada e a adotarem hábitos saudáveis.

3. Investir na aquisição de equipamento ergonómico
Visto que o trabalho remoto parece ter vindo para ficar, faz sentido que os funcionários tenham em casa o equipamento adequado para manter uma boa postura. Os equipamentos ergonómicos são caros, mas têm os seus benefícios a médio e longo prazo, pois o aparecimento de lesões pode provocar diminuição de produtividade, baixa médica, aumento dos custos de seguros de saúde (caso seja um benefício oferecido pela empresa). Ofereça-se para custear total ou parcialmente a aquisição do equipamento de escritório, isto porque, inclusivamente se não forem devidamente apoiados, os funcionários poderão não adquirir o equipamento mais adequado.

4. A pressão mental é uma realidade
Com responsabilidades novas ou aumentadas, sentimento de isolamento e as preocupações inerentes a uma pandemia global, os funcionários remotos também podem precisar de mais acompanhamento. As pessoas que vivem sozinhas ou com apenas um parceiro tendem a sentir-se sobrecarregadas e isoladas e iniciam comportamentos prejudiciais à saúde – muitas vezes refugiam-se na bebida. Poderá ajudar esses funcionários a ingressar em clubes de leitura ou outro tipo de encontros sociais virtuais. Em alguns casos também pode ser importante desmistificar e apoiar a procura de cuidados profissionais de saúde mental.

5. Manter uma porta aberta para partilhar necessidades e desafios
Os funcionários remotos debatem-se com vários desafios: filhos e outros membros da família em casa, distrações constantes, privação de sono e outros problemas induzidos pelo stress. É importante que os colaboradores se sintam à vontade para partilhar os seus problemas e necessidades como horários mais flexíveis, orientação para equilibrar o trabalho com a vida doméstica, ou mesmo equipamento extra para o escritório remoto.

 

Comentários