A start-up catalã Vonzu está a preparar a entrada no mercado português onde já trabalha alguns clientes, que representam 15% da faturação total. Mario Martínez-Jurado, fundador e CEO, explicou ao Link To Leaders os seus planos para Portugal, onde as potencialidades são grandes. Quer criar uma equipa de cinco pessoas e estabelecer parcerias.

Descomplicar o setor do retalho em Portugal, permitindo automatizar e controlar numa perspetiva 360 – desde a encomenda à entrega ao cliente – todo o processo de distribuição e logística das empresas é a proposta da start-up espanhola Vonzu que acaba de revelar ao Link To Leaders as suas ambições para o mercado português.

Criada há quatro anos por Mario Martínez-Jurado, também CEO, a start-up tem registado uma média de crescimento anual na ordem dos 300%. No ano passado, registou 1,94 milhões de entregas e uma faturação na casa dos 600 mil euros.

Em Portugal, já conta com clientes como a Leroy Merlin e as Tintas CIN e, nesta fase inicial, prepara-se para contratar uma equipa local de cinco pessoas para as áreas de desenvolvimento de software, vendas e apoio ao cliente.

Mario Martínez-Jurado releva, na primeira pessoa, de que forma a Vonzu pode transformar positivamente os setores da logística e do retalho em Portugal.

Tendo em conta que a Vonzu já trabalha com alguns clientes portugueses, quais os planos de médio prazo da start-up para o mercado nacional? Criar equipa própria, parcerias locais?
O mercado português já tem um peso que consideramos significativo na nossa operação, e o seu crescimento tem sido exponencial desde que começámos a operar com empresas nacionais em 2019. Atualmente, Portugal já representa cerca de 15% da nossa faturação total e o nosso objetivo para este ano é que passe a representar, pelo menos, 20%. O bom retorno e resposta do mercado foram cruciais para a nossa decisão de reforçar esta aposta: estamos a contar solidificar a nossa presença no país com um espaço de trabalho.

A acompanhar isto, como o nosso principal investimento é sempre nas pessoas que integram a nossa operação, queremos nesta fase inicial contratar uma equipa de cinco pessoas para as áreas de desenvolvimento de software, vendas e apoio ao cliente.

Por fim, o nosso objetivo passa por nos cimentarmos enquanto a melhor solução tecnológica no setor de logística e retalho. Assim, procuraremos estabelecer parcerias com empresas portuguesas nestas áreas para que consigamos crescer organicamente e ser reconhecidos como líderes a nível nacional.

Qual setor target da Vonzu para Portugal?
Os nossos clientes estão nos setores da logística, retalho e distribuição. Entre eles encontram-se retalhistas como a Leroy Merlin e as Tintas CIN, e também transportadoras como a W Transportes ou a Transportes Elsa Pimenta. Contudo, neste momento, a Vonzu consegue ser uma solução para qualquer setor de negócio que opere com entregas próprias ou subcontratadas.

O que é que a solução da Vonzu pode trazer de mais-valia ao mercado português?
Somos plataforma na nuvem que foi concebida para simplificar a gestão das operações de distribuição e logística de uma empresa, permitindo assim um maior controlo e eficiência. O nosso software tem uma base que, depois, poderá ser adaptada e complementada consoante as necessidades específicas de cada cliente.

Essencialmente temos duas vertentes para o nosso software. Por um lado, oferecemos uma solução para empresas que subcontratam vários serviços de distribuição, em que lhes damos o maior controlo possível e visibilidade em tempo real dos seus processos numa só plataforma. Por outro, permitimos que empresas de transporte e logística digitalizem e automatizem os seus processos para uma maior eficiência em sincronia com a app Vonzu, usada pelos seus motoristas. No fim, o objetivo será sempre proporcionar a melhor experiência possível ao cliente final.

Creio que o nosso valor acrescentado assenta fortemente em dois pilares: velocidade de integração e o nosso ecossistema. Esta é uma das maiores vantagens que os nossos clientes poderão ter: a solução é feita consoante as suas necessidades, nomeadamente em termos de logística e distribuição, com abertura e flexibilidade para futuras adaptações. O nosso ecossistema digital foi concebido para ser simples e intuitivo, acima de tudo. Esta ligação que estabelecemos, num só espaço, entre retalhistas, operadores e distribuidores já originou mesmo o estabelecimento e concretização de novos negócios.

Que potencialidades (ou lacunas) encontra no mercado português comparativamente a Espanha?
A Vonzu foi criada porque reparámos que havia um défice de digitalização nas indústrias do retalho, logística e distribuição. Este défice, na nossa visão, é geral a nível Ibérico. Consideramos, assim, que o potencial para evolução da logtech em Portugal e Espanha é enorme.

No entanto, muitas vezes a maior dificuldade prende-se com o tradicionalismo, que se traduz em alguma resistência na adesão a novas soluções tecnológicas para implementação neste tipo de negócio. A nossa mensagem é que ser digital não é um destino, mas sim um caminho que percorremos e em que a chave reside na abertura para a adaptação e inovação

Comentários