Casa do Impacto assinala 3 anos e faz balanço

O hub de inovação e empreendedorismo social e ambiental da SCML assinalou ontem o terceiro ano de atividade. Posicionar Lisboa como a Capital Europeia da Inovação Social continua a ser sua missão.

Mais de 200 empreendedores, 48 start-ups e dois milhões de euros injetados na economia. Estes são alguns dos números dos três anos de atividade da Casa do Impacto, o hub de inovação e empreendedorismo social e ambiental da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML).

Três anos volvidos, Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto, reforça que “a retoma económica tem que passar pelo empreendedorismo de impacto para se poder efetivamente chamar ‘retoma’.”

Com a missão de incrementar o talento e potencial português no setor social e potenciar respostas para combater os desafios atuais, este hub dinamizou três edições do programa de aceleração e capacitação RISE for Impact, que serviu de rampa de lançamento para mais de 90 start-ups, com apoios que rondam no total os 150 mil euros; lançou quatro edições do concurso anual para a inovação social Santa Casa Challenge, que já distribuiu mais de 95 mil euros em prémios; criou o programa de investimento com 500 mil euros ao ano para negócios em fase de pre-seed e seed, o +PLUS; e desenvolveu inúmeros eventos e parcerias nacionais e internacionais.

Entre as suas incubadas constam nomes como a Academia de Código, GoParity, Impulso, Skizo, SPEAK, Spot Games, Reshape Ceramics, e 55+, somando no total 48 os projetos que atualmente integram o hub.

A criação de um novo polo na zona Oriental de Lisboa é uma das novidades.  A sua diretora explicou que “o Lisboa Social, no antigo espaço da Mitra, vem integrar a vertente social nas zonas do Beato e Marvila, que serão o novo polo do empreendedorismo da cidade, impulsionado pelo Hub Criativo do Beato. Acrescentou que “o futuro da Casa do Impacto terá a Mitra como próxima morada, capaz de albergar três vezes mais negócios de impacto”.

Inês Sequeira frisou ainda que continuam a procurar as melhores parcerias para “poder aproveitar a oportunidade única de posicionar Lisboa como a capital europeia do empreendedorismo de impacto, a primeira cidade com este selo de mudança”.

Recorde-se que a Casa do Impacto foi fundada com o apoio dos parceiros institucionais Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Aga Khan, Portugal Inovação Social, Câmara Municipal de Lisboa, Banco Montepio e Startup Lisboa, e ainda das quatro start-ups fundadoras Academia de Código, SPEAK, IES – Social Business School e MAZE.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados