Brisa: 3 soluções para melhorar a mobilidade em Portugal

Foram hoje revelados os três finalistas candidatos ao Prémio Brisa Mobilidade, um programa concebido em parceria com o Concurso Montepio Acredita Portugal.

Quando falamos em smart cities existe a obrigatoriedade de anexar o tema da mobilidade. Para as cidades conseguirem arrecadar este novo termo do século XXI, um dos fatores mais relevantes é haver facilidade de deslocação dentro destas.

Tendo em conta que são as localizações mais desenvolvidas a correr atrás deste novo título, idealiza-se que as grandes metrópoles do “amanhã” ofereçam soluções de mobilidade que excluam o tempo de espera, filas, trânsito ou transportes públicos superlotados.

É com este intuito que começam a surgir concursos como o Prémio Brisa Mobilidade, que se destina a projetos relacionados com serviços e/ou soluções tecnológicas que contribuam para melhorar a eficiência e conectividade dos transportes já existentes ou que criem ofertas dentro deste campo. Hoje foram revelados os três finalistas deste concurso, a saber: Huubster, Famility: Mobilidade Familiar e a Bus Global Network (BGN).

A Huubster (que já foi apresentada na nossa secção Oportunidades), atua na área da compra de automóveis usados e assume como missão apoiar as pessoas que querem proceder à compra deste tipo de carros.

Na ótica de João Ramadas, fundador e CEO do projeto, a Huubster está incluída na área da mobilidade na medida em que querem “ajudar as pessoas a escolher um automóvel que não lhes traga problemas. Isso depois vai ter consequências também em termos de mobilidade porque a pessoa acaba por ter uma experiência diferente com o seu automóvel: pode evitar acidentes, filas com avarias no meio da autoestrada e melhorar as condições dos automóveis que estão a circular. Se o hábito de pedir uma avaliação pré-compra se tornar numa norma, todos os automóveis com problemas significativos não vão conseguir ser vendidos e vão acabar por ser desmantelados para peças ou irem para sucatas”.

Já a Famility: Mobilidade Familiar é uma plataforma que tem como objetivo potenciar a mobilidade familiar dentro das cidades. O conceito desta start-up passa por ser um intermediário entre empresas de transporte privadas e os pais que queiram usufruir dos seus serviços para transportar os filhos dentro cidade. “Os pais têm pouco tempo, querem ter a segurança de que os filhos estão a ser transportados de uma forma correta e da forma mais curta para os deixar na escola. Diria que este ecossistema das carrinhas é a melhor opção”, explicou-nos Pedro Zamith, o responsável pelo projeto.

Esta é uma solução para um problema real, visto que “90% dos pais transportam os filhos para a escola em carros particulares. O que nós pretendemos é que esse movimento seja, em parte, substituído por transporte coletivo”.

Ainda no segmento de transporte coletivo entra a Global Bus Network (GBN), um conector entre empresas de autocarros e clientes. Paulo Baptista, o responsável pela start-up, descreveu-nos o serviço como sendo o “Booking dos autocarros”, acumulando também um modelo de negócio semelhante ao da conhecida empresa holandesa.

Para além de ter como objetivo facilitar o transporte de grandes grupos de pessoas, a GBN também promove o turismo. “Quando um cliente nos pede um serviço irá ter direito a um conjunto de vouchers que lhe permitirão fazer compras ou usar determinadas unidades hoteleiras e restaurantes com descontos porque utilizam a nossa plataforma. Serão protocolos que iremos formalizar”, explicou-nos Paulo Baptista.

No dia 30 de maio vai sair eleito um vencedor. O primeiro classificado não só terá oportunidade de receber incubação da Brisa, como também contará com apoio na fase de lançamento para o mercado.

 

Comentários

Artigos Relacionados

Paulo Doce de Moura, Investment Advisor do Banco Carregosa
Rita Oliveira Pelica, CEO & Founder ONYOU