A rede de ‘networking’ reuniu 650 empresários de todo o país na Quinta D. Nuno, em Fátima.

O grupo BNI Collippo partilhou a sua visão estratégica e técnicas sobre como construir uma forte e efetiva rede de contactos num encontro nacional em Fátima.

“O evento, que contou com 650 empresários, teve como objetivo a partilha das boas práticas BNI que se têm revelado no seu expoente máximo no BNI Collippo, grupo que reúne na cidade de Leiria e que se mantém em alta performance há 38 meses e que conta com mais de 50 membros desde dezembro de 2015”, explicou o diretor executivo do BNI Centro & Oeste, António Afonso.

Além da reunião, o diretor consultor do BNI Collippo, Luis Brito, acompanhado de vários empresários, membros do grupo, que têm vindo a desempenhar funções de gestão, partilharam o que têm feito ao longo do tempo para que o grupo se mantenha em alta performance de forma consistente e continuada, resultando num retorno muito acima da média, regional, nacional e internacional para os seus membros.

Para entrar nesta rede de ‘networking’, “um empresário ou profissional de vendas é convidado para participar numa reunião de um grupo e, se achar interessante esta forma de conseguir mais negócios e a sua atividade não estiver já bloqueada nesse grupo (só pode haver um membro por atividade profissional), poderá candidatar-se”, adianta António Afonso.

Caso o faça, passará por uma entrevista, cujo entrevistador “apresentará a respetiva candidatura e relatório à Comissão de Membros desse grupo que deliberará sobre a sua entrada”. O custo da anuidade é de 550 euros, sendo que no primeiro ano existe um custo de 110 euros de inscrição.

Qualquer profissional pode participar no BNI: “Não existem empresas demasiado grandes nem demasiado pequenas para participar num grupo BNI, é tudo uma questão de compromisso, atitude e foco. Foco no negócio, foco na construção de relações de confiança e foco nos objetivos, que, sendo definidos e não lhes perdendo o foco, levam ao sucesso”, salientou António Afonso.

O BNI Collippo gera mais de 4 mil euros de negócio em apenas uma semana através de um sistema de referências.

O cabeleireiro escocês Terry Hamill trouxe o BNI para Portugal há 11 anos, sendo que no último ano geraram mais de 130 mil milhões de euros través das referencias dos seus 2500 membros.

Terry acredita que os portugueses têm a vontade e a dedicação no trabalho necessárias para trabalharem arduamente e serem bem-sucedidos. Segundo este, apenas precisam de trabalhar em conjunto, numa filosofia de que quem dá também recebe.

Comentários