As start-ups europeias mais referenciadas pelos investidores de capital de risco

O Business Insider questionou investidores de capital de risco na Europa e nos Estados Unidos sobre quais as start-ups do velho continente que mais os tinham impressionado este ano. A resposta está neste artigo.

Este ano, os investidores de capital de risco norte-americanos já investiram mais de 5,3 mil milhões de dólares (4,8 mil milhões de euros) em start-ups de tecnologia na Europa. É expectável que o forte investimento continue durante o resto do ano, pois estes investidores procuram “tesouros escondidos” nas start-ups europeias, com volumes de financiamento mais baixos do que empresas similares nos EUA.

Mas não são só as VC americanas a apostar seriamente nas start-ups do velho continente, os próprios investidores europeus estão atentos ao desempenho das empresas na Europa. Muitas empresas tiveram grandes crescimentos, impulsionados pelos investimentos que receberam este ano e continuam a crescer.

Estas são as 15 start-ups europeias que captaram mais atenção dos investidores de capital de risco norte-americanos e europeus, segundo o Business Insider.

Tessian

Start-up: Tessian
Financiamento total: 58,7 milhões de dólares (53,4 milhões de euros)
Atividade: A Tessian foi assinalada pelo fundo de capital de risco LocalGlobe. Esta start-up desenvolve uma plataforma de segurança para e-mail, com o objetivo de proteger os utilizadores de ataques de phishing, perda de dados, e outros problemas que podem surgir de emails mal direcionados ou trocados. A Tessian tem uma abordagem inovadora para lidar com problemas complexos e utilizar a tecnologia de machine learning na resolução do problema, algo que captou a atenção dos capitais de risco.
Em alta em 2019: A empresa obteve uma ronda de financiamento Série B de 42 milhões de dólares (38,3 milhões de euros), liderada pela Sequoia Capital no início deste ano. Anteriormente já tinha recebido financiamento de fundos de capital de risco como Accel e Balderton Capital.

Wefarm

Start-up: Wefarm
Financiamento total: 7,9 milhões de dólares (7,1 milhões de euros)
Atividade: A Wefarm é uma plataforma de “direct messaging” para agricultores, destacada pela LocalGlobe. A plataforma ajuda a ligar os milhões de agricultores em todo o mundo que não têm acesso direto à Internet.
Em alta em 2019: Esta start-up agtech (agricultura tecnológica) dispõe de uma rede ponto a ponto (peer-to-peer) que permite aos agricultores aceder e partilhar informações agrícolas importantes através de SMS. A Wefarm recebeu um financiamento Série A no final de agosto.

Accurx

Start-up: Accurx
Financiamento total: 9,1 milhões de dólares (8,2 milhões de euros)
Atividade: A Accurx é uma plataforma de mensagens por SMS que permite que cuidadores comuniquem diretamente com os seus pacientes. Esta start-up foi fundada por Jacob Haddad e Laurence Bargery que se conheceram e fundaram a empresa no Entrepreneur First em 2016.
Em alta em 2019: Esta start-up destacou-se aos olhos do fundo LocalGlobe, por desenvolver o primeiro software de autoatendimento dirigido aos profissionais do National Health Service (serviço nacional de saúde no Reino Unido). O software permite que um profissional de saúde de clínica geral use o Accurx.com e envie uma mensagem aos seus pacientes. O sistema já está operacional em 50% de centros de clínica geral.

WorldRemit

Start-up: WorldRemit 
Financiamento total: 407,7 milhões de dólares (371,2 milhões de euros)
Atividade: O WorldRemit é um serviço online que possibilita o envio de dinheiro a familiares ou amigos apenas usando um computador, smartphone ou tablet.
Em alta em 2019: A World Remit através da sua abordagem simplificada é pioneira no mercado de remessas monetárias e torna os pagamentos móveis internacionais mais acessíveis e fáceis a milhões de pessoas e empresas, tornando-se numa das start-ups mais interessantes na perspetiva do fundo de risco Accel.

Elvie

Start-up: Elvie 
Financiamento total: 53,8 milhões de dólares (48,9 milhões de euros)
Atividade: A Elvie é uma start-up femtech britânica que desenvolve produtos tecnológicos usáveis/vestíveis para finalidades exercícios para o pavimento pélvico ou bombas de leite.
Em alta em 2019:  A empresa recebeu o maior financiamento Série B de sempre na história das femtech. A Octopus Ventures destaca os progressos que a Elvie está a fazer em grandes mercados.

GoCardless

Start-up: GoCardless 
Financiamento total: 122,3 milhões de dólares (112,2 milhões de euros)
Atividade: A start-up GoCardless desenvolveu uma solução que simplifica os pagamentos recorrentes nas empresas. A empresa já recebeu financiamento Série E e esteve no acelerador Y Combinator. A gestão da empresa está atualmente ao cargo de Hiroki Takeuchi, em conjunto com Matt Robinson e Tom Blomfield, que também é fundador e CEO da Monzo.
Em alta em 2019: A empresa, referenciada pelos fundos Accel e Balderton Capital , recebeu um financiamento Série E de 75 milhões de dólares (68 milhões de euros) em fevereiro, proveniente de sete investidores. A GoCardless tem como objetivo continuar a digitalização do setor dos pagamentos.

Monzo

Start-up: Monzo
Financiamento total: 324,7 milhões de dólares (295,4 milhões de euros)
Atividade: A start-up Monzo é um unicórnio do setor bancário que atua apenas no mundo digital e já conseguiu atingir a fasquia dos 3 milhões de clientes. O neo bank disponibiliza soluções de poupança e pagamentos aos seus utilizadores. Foi avaliada em 2 mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros).
Em alta em 2019: A Monzo está a redefinir o setor da banca e criar uma comunidade fiel de forma orgânica, graças ao interface intuitivo e fácil de usar. Os planos de expansão para os EUA levaram-na seirreferenciada pelo fundo de risco Accel.

Meero

Start-up: Meero
Financiamento total: 293,4 milhões de dólares (266,9 milhões de euros)
Atividade: A Meero desenvolveu uma solução que utiliza inteligência artificial com o intuito de tornar a pós-produção de fotografia mais rápida que a edição manual, promovendo um produto final mais consistentes e diminuindo os prazos de entrega.
Em alta em 2019: A empresa obteve um financiamento de 230 milhões de dólares (209 milhões de euros) Série C em junho para continuar a sua expansão. Segundo o fundo White Star Capital, este foi um dos maiores financiamentos em França. A Meero tem como meta crescer internacionalmente.

Packhelp

Start-up: Packhelp 
Financiamento total: 12,7 milhões de dólares (11,5 milhões de euros)
Atividade: Packhelp é uma plataforma online para criar e encomendar embalagens de marca personalizadas através de um simples Web browser.
Em alta em 2019: A empresa polaca recebeu um investimento de Série A, liderado pelo fundo White Star Capital no início deste ano.

Clark

Start-up: Clark
Financiamento total: 43,8 milhões de dólares (39,8 milhões de euros)
Atividade: A Clark é uma start-up insurtech (tecnológica de seguros) alemã que fornece uma gama de produtos de seguros.
Em alta em 2019: A Clark tem apresentado uma taxa de crescimento excecional, motivo pelo qual captou a atenção da White Star Capital.

Brolly

Start-up: Brolly 
Financiamento total: 1 milhão de dólares (909 mil de euros)
Atividade: A Brolly consiste num assistente de seguros baseado em inteligência artificial que fornece análise e consultoria personalizada.
Em alta em 2019: A start-up de Londres tem como objetivo aumentar o financiamento novamente ainda este ano, à medida que a sua oferta continua a crescer. A start-up pretende lançar a aplicação completa ainda este ano e recolheu o interesse da Pi Labs.

Tier

Start-up: Tier 
Financiamento total: 30 milhões de dólares (27,2 milhões de euros)
Atividade: A Tier é uma empresa de trotinetas elétricas que tem como principais concorrentes start-ups americanas como a Bird ou a Lime.
Em alta em 2019: A empresa de mobilidade partilhada sediada em Berlim recebeu financiamento – série A – no início do anos. Os investimentos foram provenientes de diversos fundos de capital de risco, inclusivamente do piloto de Formula 1, Nico Rosberg. A start-up continua a fazer grandes progressos este ano, motivo pelo qual foi destacada pelos fundos White Star Capital e Northzone.

Pitch

Start-up: Pitch
Financiamento total: 22,7 milhões de dólares (20,6 milhões de euros)
Atividade: A start-up de tecnologia Pitch foi criada pelos ex-fundadores da Wunderlist (comprada pela Microsoft em 2015) e produz software de apresentação. A Pitch está a desenvolver um software de apresentações mais colaborativo, destinado à geração “Slack”, que pretende inovar as ferramentas antigas para apresentações.
Em alta em 2019: A start-up alemã recebeu um financiamento Série A de 19 milhões de dólares (17,3 milhões de euros) dos fundos Index Ventures (que destacou a empresa), Slack e Blueyard, com base na confiança destes financiadores.

Revolut

Start-up: Revolut
Financiamento total: 336,4 milhões de dólares (306,1 milhões de euros)
Atividade: A Revolut é um dos principais “neo bancos” do Reino Unido, com serviços como taxas de câmbio em tempo real e acesso a mercados de criptomoedas.
Em alta em 2019: A Revolut está em expansão, teve um lançamento de teste na Austrália e continua a desenvolver o seu lançamento nos EUA ao longo do ano. Destacada pelo fundo Index Ventures, a Revolut é uma empresas focada no desenvolvimento de produtos inovadores para os clientes no setor onde atua.

Nexthink

Start-up: Nexthink
Financiamento total: 156,2 milhões de dólares (142,1 milhões de euros)
Atividade: A Nexthink é uma empresa de software que ajuda a produtividade dos funcionários e os departamentos de TI a ter maior visibilidade digital.
Em alta em 2019: Pouco conhecida no mundo das start-ups, a Nexthink, fundada na Suíça, tem 500 funcionários em 11 escritórios e continua a expansão rápida, razão pela qual foi destaca pelo fundo Index. A plataforma da Nexthink está a ser adotada por grandes organizações em todo o mundo para melhorar a experiência em TI para funcionários.

Comentários

Artigos Relacionados