Academia de Código aumenta vagas de novos bootcamps para responder ao desemprego

Escola de programação aumenta número de vagas disponíveis para bootcamps de setembro. Os alunos que se candidatarem aos cursos de Lisboa e Porto podem beneficiar da linha de crédito Code Academy do Banco Montepio, que cobre até mais de 70% do valor.

A Academia de Código, escola de programação focada sobretudo em reskilling de desempregados, decidiu aumentar o número de vagas para os bootcamps com estreia em setembro, de modo a responder ao aumento de procura na sequência do crescimento da taxa de desemprego.

Os novos cursos têm 120 vagas disponíveis, número que aumenta para mais de mil os programadores já formados pelo projeto português para o mercado de trabalho, desde a sua fundação, em 2015.

“Queremos democratizar a oportunidade de acesso a emprego, especialmente agora que o panorama económico e social em Portugal e no mundo não é favorável devido à crise da Covid-19. A área das tecnologias tem crescido e saiu fortalecida com a digitalização de processos e soluções”, explica João Magalhães, CEO da Academia de Código, em comunicado.

De acordo com dados da Academia de Código, 95% dos formandos têm empregos o com ordenado médio superior a mil euros mensais.

Os cursos de 14 semanas ensinam linguagens de programação aos participantes. “Para que o esforço financeiro não seja impeditivo da participação nos bootcamps, a startup de impacto social uniu-se a municípios, governos regionais, empresas locais e, recentemente ao Banco Montepio para democratizar o acesso a formação numa área de emprego onde há escassez de profissionais”, explica a empresa no mesmo comunicado.

Os alunos que se candidatarem aos cursos de Lisboa e Porto podem beneficiar da linha de crédito Code Academy do Banco Montepio, criada especialmente para estes bootcamps, que cobre até mais de 70% do valor. Esta parceria vai permitir, ao longo dos próximos três anos, a formação de 300 pessoas desempregadas em programadores aptos para ingressar no mercado de trabalho.

Em cinco anos de existência, a Academia de Código levou a cabo 52 bootcamps em cinco campus que a start-up tem no país: Lisboa, Ilha Terceira, Porto, Aveiro e Fundão.

Em Portugal, um programador em início de carreira pode ganhar entre 15 a 30 mil euros por ano     (ordenado bruto anual médio), dependendo da função que ocupa, segundo o ​Tech Survey Report da Landing.Jobs​. De entre as profissões mais comuns de um novel programador estão o Technical Team Leader e o Scrum Master, que apresentam um ordenado médio bruto de 24,5 e 27,5 mil euros por ano,   respetivamente. Um CTO, considerado cargo de topo de carreira, pode chegar a levar para casa 68 mil   euros brutos por ano.

As candidaturas aos bootcamps decorrem até 14 de Agosto.

 

Comentários

Artigos Relacionados