Mundo global ou países fechados? Esta é a questão subjacente ao primeiro livro da autoria de Adolfo Mesquita Nunes, advogado e ex-deputado. Uma edição da Dom Quixote, nas livrarias desde o início deste mês.

Do que fala
Naquele que é o seu primeiro livro, Adolfo Mesquita Nunes faz uma defesa apaixonada do mundo global e diz-nos como podemos melhorar e aperfeiçoar a globalização. Apontado como um livro para as gerações que nos últimos vinte anos viveram quase sempre em crise – as mesmas que têm dificuldade em se emancipar e questionam se a culpa desse estagnação não é da globalização – “A Grande Escolha” aponta os erros e as consequências de os países se fecharem sobre si próprios.

O autor mostra como a abertura do Mundo é o maior instrumento de progresso de toda a história e enumera sete grandes desafios da atualidade: desigualdade, emprego, salários, habitação, dependência externa, monopólios digitais e fiscalidade internacional. Além disso traça linhas de ação para os resolvermos.

A obra de Adolfo Mesquita Nunes assume-se com um livro de perguntas e respostas para quem têm dúvidas sobre o caminho que o Mundo está a tomar e desconfia de soluções fáceis para problemas complexos.

Quem escreveu
Adolfo Mesquita Nunes, 43 anos, é licenciado em Direito e Mestre em Ciências Jurídico-Políticas. Exerce advocacia há 16 anos, foi deputado à Assembleia da República e secretário de Estado do Turismo. Teve uma atividade política ativa e além dos cargos governamentais foi vice-presidente do CDS-PP, entre 2016 e 2019.
A par da atividade profissional também foi comentador e colunista na SIC, TSF, Visão, no Jornal de Negócios, Diário de Notícias, entre outros órgãos de comunicação social.  “A Grande Escolha” é o seu primeiro livro.

Temas Chave
Economia, globalização, sociedade.

Ficha Técnica
Título: A Grande Escolha
ISBN: 9789722071154
Edição: 11-2020
Editor: Dom Quixote
Idioma: Português
Encadernação: Capa mole
Páginas: 420

Comentários