Entrevista/ “A inovação tecnológica é crucial para enfrentar as exigências ambientais”

Hugo Agostinho, responsável de operações da Selectra em Portugal

“Queremos ser aliados na poupança e na eficiência energética de forma diária”, afirma Hugo Agostinho, responsável de operações da Selectra em Portugal. Este ano, adianta, “tem uma grande novidade preparada”.

Presente em Portugal há cerca de oito anos, a Selectra define-se como especialista em tarifas de energia e telecomunicações, encarregando-se, entre outras coisas, da gestão dos contratos relacionados com a mudança de energia, gás, telecomunicações, água ou alarmes, entre outros serviços. Oferece comparação, gestão e subscrição das ofertas que melhor se adaptam às necessidades dos clientes facilitando-lhes os processos e permitindo poupanças.

Com uma dimensão geográfica que atualmente passa por 17 países, a Selectra vê Portugal com um mercado estratégico no alcance das metas e objetivos do grupo.

O que faz uma empresa que se assume como especialista em tarifas de energia e telecomunicações?
A nossa visão é que aspiramos a uma realidade onde as preocupações com os gastos domésticos se tornem numa questão do passado. Sabemos que os temas relacionados com energia, telecomunicações e outros serviços domésticos podem ser difíceis de compreender para os utilizadores, por isso o nosso compromisso inclui uma revisão minuciosa da fatura, acompanhada de um aconselhamento transparente e adaptado ao consumo do consumidor. Somos uma linha aberta para facilitarmos a vida dos clientes

Depois de oito anos no mercado português, como avalia a adesão dos portugueses à vossa proposta ao longo deste tempo? Tem correspondido às expectativas?
Sim, totalmente. Obtivemos um grande crescimento em 2022 e, em 2023, podemos orgulhar-nos por manter a tendência do ano anterior.

Qual a vossa base atual de utilizadores?
Em 2023, recebemos mais de 620.000 pedidos de apoio, auxiliando mais meio milhão de pessoas em gestões, esclarecimentos ou contratações. No entanto, também tivemos mais de 2 milhões de visitas às nossas páginas online, nas quais disponibilizamos conteúdos informativos para o consumidor sobre uma enorme diversidade de temas do setor que costumam causar dúvidas ou preocupações aos consumidores.

Do conjunto de serviços que disponibilizam, qual o mais procurado?
A assessoria energética é o mais procurado. Infelizmente, existe um desconhecimento sobre este tema, pois muitas pessoas não sabem qual é a potência contratada, qual é a tarifa que pagam e até passam anos sem fazer uma revisão do seu contrato de eletricidade. Em Portugal, ao possuirmos um mercado aberto e competitivo, o consumidor tem uma maior mobilidade para contratar um novo serviço, mas também mais opções e isso levanta dúvidas. Nós ajudamos nesse processo de comparação e contratação.

“Priorizamos parceiros cujo perfil esteja alinhado com o nosso objetivo de proporcionar soluções eficazes e abrangentes (…)”.

Qual a vossa estratégia de parcerias? 
Trabalhamos com mais de 10 colaboradores para oferecer aos clientes um lote de oportunidades que melhor se adapte às suas necessidades. Priorizamos parceiros cujo perfil esteja alinhado com o nosso objetivo de proporcionar soluções eficazes e abrangentes no setor de energia, telecomunicações e alarmes. As nossas apostas para parcerias estão direcionadas para empresas que demonstrem um compromisso com a inovação e que, de alguma forma, complementem os serviços que oferecemos.

O setor imobiliário é dominante nas vossas parcerias?
O setor imobiliário tem desempenhado um papel crucial nas nossas parcerias, fortalecendo a nossa presença no mercado. Neste sentido, temos investido na criação de serviços específicos, exemplificado pelo nosso serviço “Mudança Fácil”, que abrange todos os aspetos contratuais relacionados com a mudança de habitação.

Quais os vossos números este ano? Volume de negócios, percentagem de crescimento…?
Em 2023, alcançamos um crescimento significativo nos setores de energia e telecomunicações, ultrapassando os indicadores do ano passado, sendo responsáveis por aproximadamente 10% dos contratos entre Espanha, Portugal, México e América Latina.

Serviço ao cliente, produto, recursos humanos, sustentabilidade… o que vos mobiliza atualmente?
Numa abordagem centrada no cliente, procuramos a excelência e a inovação contínua. Ao nos consolidarmos como uma empresa tecnológica, desenvolvemos ferramentas que simplificam a vida do utilizador, ao mesmo tempo que nos alinhamos com padrões sustentáveis, refletindo este mesmo compromisso.

“A crescente consciência ambiental dos consumidores reflete-se numa procura por soluções sustentáveis e energias renováveis”.

Desde 2016, ano da entrada da Selectra em Portugal, até agora quais as mudanças mais significativas que identifica no vosso setor de atividade?
Temos assistido a significativas transformações no nosso setor de atividade, acentuadas pelos conflitos na Ucrânia e em Israel, assim como a pandemia. A crescente consciência ambiental dos consumidores reflete-se numa procura por soluções sustentáveis e energias renováveis. Este movimento estratégico tem permitido uma expansão das operações, estando a Selectra presente em 17 países, tais como México, Chile, Argentina, Itália, Bélgica, Japão e Austrália. A nossa visão é não apenas acompanhar estas mudanças, mas liderar inovações que contribuam para o crescimento sustentável da empresa no futuro.

“A digitalização otimizou processos internos e proporcionou uma experiência mais ágil aos utilizadores (…)”.

Como vê o papel que a inovação e a tecnologia desempenham no vosso setor de atividade?
Vejo-as como impulsionadores essenciais no setor. A digitalização otimizou processos internos e proporcionou uma experiência mais ágil aos utilizadores e a inovação tecnológica é crucial para enfrentar as exigências ambientais, promovendo soluções e ferramentas para monitorizar o consumo energético. Queremos ser aliados na poupança e na eficiência energética de forma diária, e isto só é possível se formos capazes de dar visibilidade aos nossos utilizadores sobre os seus padrões de consumo.

Qual a importância do mercado português para o grupo, numa perspetiva global?
O mercado português representa uma parcela significativa e estratégica para o grupo. Esta importância é substancial não apenas em termos de dimensão, mas também pelo papel estratégico que desempenha no alcance das metas e objetivos do grupo Selectra.

Começaram pela energia, posteriormente entraram telecomunicações… qual a próxima aposta da empresa?
Iremos sempre continuar a explorar oportunidades estratégicas para expandir a presença e oferecer soluções inovadoras aos clientes, mas confesso que temos uma grande novidade preparada para 2024.

“(…) confesso que temos uma grande novidade preparada para 2024”.

O que gostaria de ver implementado na Selectra este ano?
Procuraremos reforçar a nossa liderança com inovação, parcerias estratégicas e manter os nossos elevados padrões de atendimento. Este compromisso reflete a nossa procura contínua por soluções inovadoras e centradas no cliente, consolidando a posição da Selectra no setor.

Comentários

Artigos Relacionados