70% dos funcionários da OutSystems aumentou produtividade com o teletrabalho

Como corre o teletrabalho num unicórnio português? Dois meses depois a trabalharem em casa, mais de 900 colaboradores da OutSystems respondem a um inquérito da empresa. A maioria refere ter aumentado a produtividade e o sentimento de pertença.

A OutSystems acaba de apresentar os resultados de um inquérito feito aos seus mais de mil colaboradores em todo o mundo. O objetivo foi avaliar as medidas implementadas pela empresa e a forma como o teletrabalho tem impactado as dinâmicas de trabalho, produtividade, bem-estar e cultura corporativa. “Depois de dois meses em teletrabalho, e de muitas iniciativas, a avaliação é positiva e confirmam o sucesso da OutSystems na adaptação à nova realidade”, pode ler-se no comunicado enviado pela empresa.

Para compreender o impacto do teletrabalho na vida profissional e pessoal dos seus colaboradores, e das iniciativas que adotou para manter e estimular a cultura corporativa, a OutSystems pediu à equipa para responder a um inquérito de avaliação. Após ter obtido mais de 900 respostas, os resultados revelam que 74,1% dos colaboradores afirmam que a sua produtividade manteve-se ou aumentou e 93% afirmam que as políticas implementadas pela empresa manteve ou aumentou o sentimento de pertença e integração na equipa.

No questionário houve ainda espaço para uma classificação em escala de 0 a 10, utilizada para avaliar as iniciativas colocadas em prática pela empresa (9,3), a resposta global da OutSystems ao período de teletrabalho (8,3), o conforto em trabalhar totalmente a partir de casa (7,9), o balanço positivo entre vida pessoal e profissional (6,5) e o impacto da resposta da OutSystems no ambiente e cultura interna da empresa (8,5).

Por outro lado, as dinâmicas ao trabalhar com os filhos em casa (49% dos colaboradores fazem-no), o ambiente propício para períodos de maior foco e concentração e as condições de trabalho em casa, são os três principais desafios apontados pelos colaboradores.

“Estarmos fisicamente separados não significa estarmos distantes. Esta foi a ideia base que nos guiou na criação de políticas de trabalho remoto, que foram criadas em tempo recorde e em circunstâncias muito peculiares a que a COVID-19 nos obrigou.” explica Alexandra Monteiro, responsável de Recursos Humanos da OutSystems.

“Debatemos ideias com pessoas de todos os departamentos e decidimos lançar o Remote Company Program, dedicado a facilitar e apoiar as nossas equipas nesta transição, baseado em três pilares fundamentais: Produtividade, Bem-Estar e Sentimento de Pertença. Só assim foi possível aproveitar este momento mais difícil e capitaliza-lo para fortalecer a nossa cultura corporativa”, destaca

As medidas implementadas pela OutSystems incluem um microsite com conselhos, dicas e melhores práticas no trabalho remoto, e um apoio reforçado aos líderes de gestão para manterem contacto com toda a equipa, de uma forma virtual. Inclui ainda um apoio dedicado a colaboradores com filhos, para melhor gerirem o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Já no campo do bem estar, e usando as diferentes competências de cada colaborador, foi criado um espaço virtual com diferentes atividades que vão deste o yoga à meditação, passando pelo coaching, aulas de ginástica e de culinária, e até um clube de leitura. Por fim, no que diz respeito ao Sentimento de Pertença, as atualizações trimestrais conduzidas pelo CEO Paulo Rosado passaram a ser semanais, e foi ainda criado o espaço Ask me anything (Pergunta-me o que quiseres) onde cada colaborador pode fazer perguntas aos seus superiores, sobre os diferentes departamentos e atividades da empresa.

“Com um posicionamento focado na agilidade e preparação para as constantes e rápidas mudanças, a OutSystems tem conseguido manter-se totalmente operacional enquanto empresa, nas dinâmicas de equipa e até numa vertente mais individual.” conclui Alexandra Monteiro.

 

Comentários

Artigos Relacionados