Apesar de a um ritmo mais lento do que seria desejável, as empresas estão progressivamente a dar mais atenção ao tema da diversidade. Basta ir aos sites de muitas das mais conhecidas empresas e aí encontramos espaços dedicados ao tema, com manifestação de vontade, com compromissos assumidos.

Não estamos a falar apenas de diversidade de género, mas também de idade, de background académico, de idade, de etnia ou de capacidades.

E quando falamos em diversidade, não estamos a falar apenas em “aceitar” ou “compreender”.

Ter um mindset aberto à diversidade é mais do que ser tolerante: é integrar e gerir a diferença nas várias esferas da nossa vida, nomeadamente nas nossas empresas, retirando dessas diferenças o valor acrescentado que trazem.

Os benefícios da diversidade são inúmeros, nomeadamente:

  • Favorece a inovação, pelos diferentes contributos dados por quem tem experiências diversas;
  • Pode facilitar a entrada das empresas noutros mercados;
  • Favorece a resolução de conflitos, já que equipas diversas estão habituadas a ter opiniões diferentes e a ter que gerir pessoas diversas;
  • Empresas diversas espelham melhor o mercado, logo têm potencialmente abordagens aos Clientes mais “certeiras”.

E como avançar no tema?

Há alguns anos, vivi a experiência de integrar um jovem com trissomia 21 na empresa onde trabalhava. No início, tudo parecia difícil: – O que irá fazer? Como nos devemos comportar com ele? Será que o vamos entender?

Todas estas questões acabaram por ir tendo respostas no dia a dia, à medida que íamos conhecendo e integrando o João (*). No início, foi preciso dedicar algum tempo para perceber o que o João poderia fazer, criar as suas rotinas no trabalho, ensiná-lo e ir acompanhando a criação de autonomia nalgumas tarefas. Com o passar do tempo, toda a equipa refletia esta experiência como muito rica e até “que o João nos tinha dado mais a nós do que nós a ele”.

Para mudarmos as nossas convições acerca da diversidade, temos que a experimentar. Formar sobre Diversidade não é suficiente: é preciso vivê-la.

Aqui ficam algumas sugestões para acelerar a inclusão da diversidade nas nossas empresas:

  1. Ter um elemento do board, ao mais alto nível, comprometido com o tema, que o coloque nos foruns de decisão e vá acelerando decisões concretas que favoreçam a diversidade.
  2. Ter objetivos de integração nas equipas de pessoas com diferentes idades, backgrounds académicos, géneros, capacidades ou raças. Esta vivência concreta, no dia a dia, permitirá a todos vivenciar os benefícios da diversidade.
  3. Criar espaços / foruns na empresa para falar das experiências de inclusão que forem sendo vividas.
  4. Incluir nos planos de fomação o tema dos benefícios da diversidade.
  5. Criar a figura do diversity manager na empresa, responsável por criar um bom Tableau de Bord com indicadores de diversidade e contribuir com medidas concretas para a melhoria dos mesmos. Porque o que não se mede, não se melhora…
  6. Facilitar a aprendizagem de uma 2ª língua a todos os colaboradores. Esta medida que à partida parece menor, facilita de modo exponencial a nossa experiência do que é diferente.
  7. Desenvolver iniciativas que tragam para a empresa a vivência de diferentes culturas (ex: “Semana do Mundo” no refeitório da empresa).

Por um tema de direitos humanos ou por uma questão de negócio, faz todo o sentido experienciar a diversidade como uma alavanca de sucesso das nossas empresas.

(*) Nome fictício

Comentários

Sobre o autor

Avatar

Isabel Viegas é professora na Universidade Católica e Membro do Conselho Estratégico da Formação de Executivos da FCEE da mesma universidade. Foi Diretora-Coordenadora de Recursos Humanos do Grupo Santander em Portugal, de 2003 a 2016, bem como Diretora de Recursos... Ler Mais