64% dos consumidores esperam que as marcas interajam em tempo real

O novo relatório da BCG constata que o comportamento dos consumidores está a mudar e que as empresas terão de adaptar as suas estratégias de marketing para serem relevantes.

O “The Future of Sales and Marketing Is Here”, um dos mais recentes relatórios do Boston Consulting Group (BCG), constata que o comportamento dos consumidores – com destaque para os da Geração Z e Millennials – está a mudar e que, devido a isso, as empresas terão de adaptar as suas estratégias de marketing se quiserem continuar a ser relevantes.

Os consumidores passam mais tempo online, o que potencia o crescimento do ecommerce e das vendas realizadas com influência digital, e contam cada vez mais com uma experiência hiperpersonalizada, ultraconveniente e uma sensação de conexão com a comunidade em torno de paixões, interesses semelhantes e marcas que partilhem dos mesmos valores.

Estas alterações refletem-se na forma como a Geração Z e os Millennials anteveem a relação com as marcas, desejando cada vez mais proximidade. Neste sentido, o relatório da BCG mostra que 64% dos consumidores esperam que as marcas interajam com eles em tempo real. Por isso, prevê-se que o mercado dos assistentes virtuais cresça 37% ao ano entre 2020 e 2027.

Além disso, e devido a estes comportamentos, também estão a surgir novos canais de venda através de controlo remoto, ativação por voz, jogos ou redes sociais que traçam um novo padrão de conveniência, entretenimento, imersão e personalização. 65% dos consumidores da Geração Z, por exemplo, já compraram um artigo virtual apenas utilizável no contexto de um videojogo.

Perante as tendências apresentadas no “The Future of Sales and Marketing Is Here”,  a consultora apresenta um conjunto de sugestões para que as marcas possam manter-se relevantes junto dos seus consumidores. A primeira delas passa por colocar o consumidor em primeiro lugar, o que implica conhecer a demografia, as necessidades e o seu contexto para desenvolver e dar prioridade aos espaços onde a oferta é mais significativa. Segue-se o renovar os canais de venda, ou seja, reavaliar a estratégia dos canais físicos e digitais, com vista a proporcionar uma experiência verdadeiramente integrada. Sempre que possível, devem privilegiar-se novos canais, para lá dos tradicionais.

A terceira sugestão consiste em permitir operações integradas, isto é eliminar as barreiras entre o marketing, as vendas e os serviços. Combinar os dados, os recursos tecnológicos e as equipas para melhor compreender o comportamento do consumidor em todo o ciclo da sua relação com a marca, e tirar partido das inúmeras interações ao longo da cadeia de valor para enriquecer a perspetiva sobre o cliente e a relevância da proposta de valor para aquele segment of one.

A par destas mudanças surgem também outras tendências importantes no redesenho do paradigma, tais como a Inteligência Artificial, a realidade virtual e aumentada, os NFTs, as criptomoedas e o metaverso, cujo mercado se espera que alcance uma valorização de 1,3 biliões de dólares em 2030.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados