Existem fatores e circunstâncias diversas que contribuem para o sucesso de uma start-up: desde o modelo de negócio à ideia disruptiva, passando pela ajuda institucional ou as vias de financiamento. Neste artigo, partilhamos os cinco fatores chave para conseguir levar o seu projeto a bom porto.

A fórmula do sucesso não é um segredo como a da Coca Cola. Ao contrário desta, não existe, embora haja determinadas características comuns que, juntas, fazem com que haja projetos estrela e projetos ‘estrelados’. Durante a última década, empresários veteranos, incubadoras de ideias, especialistas da indústria e business angels tentaram catalogar os fatores que ajudam uma start-up a triunfar.

Se está a pensar em abrir o seu próprio negócio, conheça os 5 fatores essenciais que a sua start-up deve cumprir para triunfar, segundo o blogue espanhol sobre tecnologia TICbeat.

1. Ideia

Embora não seja tudo, pôr uma empresa em andamento pressupõe a existência de uma ideia. Sem uma boa ideia, é muito difícil ter um modelo de negócio claro e objetivos claros. É importante que a ideia cumpra cinco indicadores. A ideia, segundo Seth Godin, autor de numerosos livros de empreendedorismo, deve cumprir cos seguintes requisitos:

Rentável: As receitas que se obtêm do negócio a curto e longo prazo devem ser substancialmente mais altas do que as despesas conhecidas e calculadas até à entrega dos produtos ou serviços – fabrico, armazenamento, embalagem, transporte, desenvolvimento de produtos, etc.

Protegida: É importante que a entrada no mercado seja relativamente difícil para os concorrentes. Se não for assim, qualquer tentativa de entrada deve ser identificada.

Sustentável: Além de gerar lucros, o modelo deve deixar espaço para desenvolver novos produtos, inovar e investir em I&D.

Flexível: É fundamental ter uma margem em torno da ideia de negócio, para sobreviver e aliviar a pressão.

Transferível: Deve estar concebida para poder operar sem si, passado algum tempo. Também deve possibilitar oportunidades de ser vendida ou liquidada, conforme as circunstâncias.

2. Ecossistema de apoio

Para ultrapassar com sucesso os primeiros anos iniciais, sempre tão críticos, e conseguir criar um nome num nicho de mercado competitivo, são necessárias três coisas imprescindíveis:

Apoio financeiro: As linhas de crédito, o capital pessoal e os empréstimos constituem o ecossistema de apoio financeiro, no qual também se incluem outras alternativas como os business angels, o capital de risco, o crowdlending ou o crowdequity.

Apoio intelectual: É habitual que os fundadores não saibam antecipar todos os desafios que irão enfrentar. Por isso, a assessoria de especialistas e o recurso a mentores ou analistas de mercado, assim como a veteranos da indústria é fundamental para questões sobre preço, linha de produtos, problemas legais ou análise da concorrência.

Apoio estratégico: Clientes de ouro, especialistas em relações públicas e sócios comerciais estratégicos contribuirão para fortalecer o teu ecossistema.

3. Equipa, mãos e cérebros unidos

Será, provavelmente, o ponto no qual mais fracassam projetos com ideias realmente inovadoras. A formação, o crescimento e a gestão da equipa determinam o sucesso de forma crítica. É importante abordar os seguintes aspetos:

– Ter um acordo escrito e autenticado que defina a posição e o papel dos cofundadores da start-up;

– Um plano detalhado que defina o número e a natureza específica dos postos a preencher;

– Tomada de decisões sobre a contratação de empregados e de consultores e contratantes;

– Compreender os aspetos legais, os prós e os contras da contratação de freelancers e analisá-la exaustivamente;

– Elaborar um conjunto de regras para situações de saída planificada ou não planificada dos membros-chave da equipa;

– Contar com uma estratégia para acelerar novas contratações que acrescentem valor.

4. Momento

Um fator de sucesso pouco conhecido, mas significativo. Na conferência TED de Bill Gross sobre o sucesso das start-ups, este especialista quantificava os cinco determinantes críticos do sucesso de uma start-up, concluindo que o tempo é o mais significativo de todos eles, representando 42% da diferença entre o sucesso e o fracasso.

As empresas de economia colaborativa, como a Uber ou a Airbnb, são exemplos de projetos que encontraram o momento perfeito para lançar a sua ideia.

5. Motivação e desejo de avançar

Para que uma empresa seja relevante e líder do seu setor, deve inovar constantemente. Que o digam a Amazon, que diversificou a sua estratégia para os produtos frescos ou a entrega com drones, os diversos projetos que acumula a Tesla ou a licença bancária que conseguiu a superpotência indiana PayTM para continuar a crescer.

Comentários