Gerir as nossas emoções e fazer melhor uso do tempo durante o isolamento são atitudes que podem ajudar a aliviar a tensão.

A pandemia do novo coronavírus tem provocado sérios impactos na economia, na saúde e está a modificar os hábitos da população em diversos países. Ainda não foi descoberta a vacina ou medicamento e os governos e cientistas estão numa corrida para decifrar e conter a propagação do vírus que já atingiu 159 países.

Consequências como mortes, encerramento das fronteiras, a quarentena e o reforço do distanciamento social podem levar a que tenhamos mais medo e nos sintamos desamparados. Embora a ameaça seja real, o pânico e as emoções à flor da pele deixam a situação ainda pior. Conheça algumas ações que pode adotar para desenvolver o seu controlo emocional em casa neste momento, segundo a revista Época Negócios.

1.Partilhar sentimentos
Manter-nos apreensivos e negar a situação só piora as coisas. Partilhar os nossos sentimentos – mesmo que à distância – ajuda-nos a geri-los, pois falar em voz alta diminui o seu impacto sobre nós. Além disso, ajuda-nos a sentir mais apoio.

2. Apoiar as crianças nas suas emoções
Sim, os sentimentos das crianças são reais e, como adultos, podemos ajudar, respeitando-os. Enquanto estamos a lutar com as nossas emoções, também precisamos de ajudar as crianças. Não precisamos de partilhar tudo, mas se as crianças sentirem que temos medo de nos expressar, isso pode aumentar o nível de ansiedade dos mais pequenos. Neste momento, precisamos de ser autênticos e gerir as nossas próprias emoções.

3. Atenção ao que podemos controlar
Nem tudo está sob o nosso controlo, mas existem coisas que podemos fazer para aliviar riscos desnecessários. Converse com pessoas próximas e veja o que pode fazer para ajudar. Ideias simples, como ajudar nas compras, diminuem o número de pessoas que precisam de estar expostas ao vírus. Ao tomar este tipo de atitude, fortalece as suas conexões.

4. Receber notícias e atualizações de fontes confiáveis
Durante os tempos de crise, notícias falsas e boatos podem provocar ainda mais stress e medo desnecessários. Ao tomarmos atenção apenas a informações de especialistas e médicos, podemos fazer a nossa parte para conter o pânico.

5. Fazer uso criativo do tempo
Enquanto as pessoas infetadas estão de quarentena, muitos de nós terão apenas de manter o distanciamento social e ficar sozinhos. Este é um bom momento para conversar – ainda que à distância – com parentes e aquele amigo com o qual não falamos há muito tempo. E-mail, texto ou, melhor ainda, ligar e ouvir a voz das pessoas ajuda a quebrar a sensação de isolamento.

Outras atividades, como ler um livro, escrever ou aprender uma nova língua podem ajudar. Além disso, considere a meditação para libertar a tensão.

 

Comentários