Se pretende ser rico sem ganhar o euromilhões ou a lotaria, esteja atento a dez comportamentos que podem estar a afastá-lo do objetivo e repense as suas atitudes.

São muitos os que diariamente afirmam ter como objetivo de vida serem ricos. No entanto, se não o herdarem ou ganhar nos jogos de sorte… ou de azar, há alguns comportamentos e hábitos que convém repensar e que, segundo a Exame Brasil, podem estar a afastá-los dos ambicionados euros.

  1. Ser muito certinho e não arriscar

Gostar de desafios e estar aberto à mudança são pré-requisitos para quem aspira tornar-se milionário. Tal significa que se recusar uma proposta para assumir uma nova função no trabalho ou de morar no estrangeiro, sem avaliar os prós e os contras, dificilmente vai ver a sua conta bancária a crescer da maneira pretendida.

“Os milionários são pessoas inquietas e que se questionam, que arriscam muito na vida”, apontou o professor Ricardo Rochman, coordenador do mestrado profissional de economia na Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EESP).

  1. Não investir no mercado financeiro

A dica de arriscar mais também é válida para as aplicações no mercado financeiro, que podem aceleram o seu processo de enriquecimento. Dificilmente quem tem medo de aplicar em qualquer outro investimento para além da poupança sem riscos será milionário, segundo Rochman, da FGV. “Quem quer ser rico não precisa necessariamente aplicar em ações, mas tem que diversificar os investimentos e ficar atento ao que acontece no mercado”, referiu o académico.

  1. Trabalhar demais e viver sem tempo livre

Boas ideias sobre como ganhar dinheiro surgem quando as pessoas saem com frequência da sua rotina. “Quem não tem tempo livre não vai ser rico”, afirmou Rochman, da FGV. Este aconselha a reservar espaços na agenda para se inteirar das inovações que surgem pelo mundo e para procurar novos modelos de negócio e oportunidades no mercado financeiro.

Nos momentos de lazer, também é preciso observar o que acontece ao seu redor, já que muitas vezes as grandes ideias de negócio surgem quando se percebe como resolver os problemas que as pessoas enfrentam no dia a dia.

  1. Odiar o trabalho

É possível não gostar do que se faz e mesmo assim acumular dinheiro, mas qual a piada de se ser rico e não se ser feliz? Para além disso, o professor Rochman, lembra que é mais difícil trabalhar durante muito tempo com algo que se odeia, e que acumular dinheiro geralmente demora a conseguir. “Os jovens só enriquecem porque podem arriscar à vontade, mas ninguém vira milionário da noite para o dia”, diz.

  1. Não ter sonhos na vida

Os ricos sonham muito, para além de ganharem milhões. “São aqueles objetivos que só de pensar neles nos causam arrepios”, referiu o educador financeiro Sílvio Bianchi, da DSOP Educação Financeira. Este explica que ter dinheiro não deve ser um objetivo, mas um meio para atingi-lo. Desta forma, enriquecer tornar-se-á apenas numa consequência.

As pessoas que têm sonhos agem como empreendedoras, mesmo que não comecem um negócio próprio e permaneçam a trabalhar por conta de outrem.

  1. Ser apressado e querer tudo para ontem

Pessoas ricas são pessoas prósperas. A origem da palavra “prosperar” está ligada a ter esperança e a esperar, como explicou Bianchi. “Quem consegue resultados financeiros no futuro sabe aguardar o tempo necessário para comprar”, referiu Bianchi. Poupar exige paciência e esta é essencial para enriquecer.

  1. Poupar demais

Poupar em excesso pode ser mau se pretende ser rico. Pessoas que poupam demais e que procuram poupar sempre ao máximo às vezes deixam de viver experiências que podem ser importantes ao alcançar do seu objetivo, como uma viagem para frequentar um evento ou um almoço com pessoas diferentes.

“Aquela pessoa que está sempre preocupada em poupar perde oportunidades na vida e tem dificuldade para perceber a diferença entre gastar e investir”, referiu o orientador financeiro Conrado Navarro, idealizador da Dinheirama.

O professor de finanças Gilberto Braga, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais do Rio de Janeiro (Ibmec-RJ), concorda. “Quem vai no restaurante e escolhe o prato pelo preço, e não pela comida, dificilmente será rico”, afirmou Braga. Para este é preciso saber equilibrar o preço e a satisfação pessoal quando se trata de fazer escolhas.

  1. Pensar só em dinheiro

Nem sempre o retorno financeiro imediato é o mais importante para se tornar milionário. Ao tomar decisões, quem pensa demasiado em dinheiro não enriquece. “As pessoas ficam tão preocupadas com o resultado financeiro que deixam as oportunidades passar”, referiu Navarro, da Dinheirama.

A ideia de abandonar o emprego para abrir o próprio negócio, por exemplo, pode não trazer um retorno financeiro superior no imediato, mas apenas mais tarde, mas nem por isso deixa de valer a pena. “Quando se pensa em excesso, dificilmente se alcança a riqueza”, afirmou Navarro.

  1. Achar que dinheiro não é importante

No outro extremo, pessoas que não compreendem que o dinheiro pode transformar a vida também não enriquecem. “Achar que controlar o dinheiro é coisa de rico torna as pessoas alienadas, inclusive quando se trata de aprenderem como ganharem mais”, explicou Navarro, da Dinheirama.

Este aconselha que, para aumentar o património, é essencial fazer do dinheiro um assunto do dia a dia, que não surja apenas em momentos de dificuldades financeiras.

  1. Relacionar-se apenas com os seus amigos

Frequentar ambientes onde os ricos estão pode ser um bom caminho para se tornar num deles, como sugiu Braga, do Ibmec-RJ. “Tem que se comportar como os ricos para desenvolver o seu networking”, aconselhou.

É preciso frequentar novos ambientes para criar relacionamentos com pessoas que podem apresentar-lhe oportunidades no futuro. “Ter um círculo de amizades para além dos seus amigos do peito funciona mais do que mandar currículos”, recomendou.

Leia também: “O que é preciso para se ser bem-sucedido? Milionário de 26 anos responde“.

Comentários