Cinco anos depois de ter sido lançada, a Unbabel realiza o primeiro evento anual que junta em Lisboa especialistas mundiais. Falámos com Vasco Pedro, o cofundador da start-up portuguesa que levantou este ano 23 milhões de dólares de alguns dos investidores de topo mundiais.

A Unbabel, start-up portuguesa que alia a inteligência artificial com pós-edição humana à tradução automática e que trabalha empresas como Facebook e Pinterest, celebra o seu 5.º aniversário com o primeiro evento anual, que decorre hoje no Centro Champalimaud para o Desconhecido, em Lisboa.

A iniciativa debruçar-se-á sobre os temas Customer Service, Marketing e Desenvolvimento de Produto. Pedro Martins, da Farfetch, Natalie Ruhl, da SoundCloud, Paula Kennedy, da Convergys, Carl Wong, da LivingLens e Miguel Alves Ribeiro, da Zomato, são alguns dos oradores nacionais e internacionais que vão enriquecer os debates do Unbabel Annual Event.

Em entrevista ao Link To Leaders, o Vasco Pedro, CEO e cofundador da start-up portuguesa faz um balanço dos cinco anos de existência, fala dos desafios que encontraram pelo caminho e das expetativas para o primeiro evento.

Qual o balanço que faz destes cinco anos de Unbabel?
Estes cinco anos têm sido um desafio enorme com um balanço muito positivo. Fomos desde uma ideia embrionária a estarmos cada vez mais perto do nosso objetivo.

Quais os maiores desafios que encontraram pelo caminho?
Pelo caminho ficaram vários desafios, alguns deles ainda muito presentes. Conseguir atrair o talento certo, ter capital suficiente, continuar a inovar e como sempre o de qualquer start-up, continuar a crescer.

O que contribuiu para o sucesso da Unbabel?
Acima de tudo as pessoas que têm feito parte desta viagem. Desde os fundadores, colaboradores, investidores, clientes. Muito esforço e, claro, no meio de tudo isto, muita sorte.

Temos mais de 100 empresas como clientes que empregam milhares de pessoas que usam a Unbabel no dia a dia, bem como 100.000 tradutores registados na nossa plataforma.

Quantas pessoas já recorreram ao serviço de tradução da Unbabel?
Temos mais de 100 empresas como clientes que empregam milhares de pessoas que usam a Unbabel no dia a dia, bem como 100.000 tradutores registados na nossa plataforma. Estamos muito satisfeitos com o progresso, mas sabemos que estamos apenas no início do nosso percurso de trazer a Unbabel para o mundo.

A Unbabel está a criar uma nova categoria de mercado, o TaaS – Translation as a Service. Em que é que consiste?
Até agora, a maior parte das empresas recorre a serviços de tradução do século XX. Equipas de pessoas que trabalham em projetos e que não escalam. Acreditamos que as empresas do século XXI precisam de um novo tipo de tradução. On-demand, always-on, apoiada por tecnologia que permita uma expansão fácil. Que escale com as necessidades constantes das empresas globais. A isto chamamos Translation as a Service. É uma categoria que lideramos.

Como surgiu a ideia de criar o Unbabel AnnualEvent?
Foi há metade de uma década que começamos este percurso e quisemos hastear uma bandeira para assinalar este dia e celebrar tudo aquilo que ajudámos os nossos clientes a conquistar durante este período. Pela forma como os ajudamos a transformar as suas operações e a melhorar a experiência que dão aos seus clientes, por isso, quisemos partilhar com eles a nossa visão para o futuro e dar-lhes a confiança de onde queremos estar daqui a 5 anos.

Quais as expetativas para este evento?
Estamos contentes pela resposta que temos tido e pela qualidade das interações com os nossos clientes e parceiros até agora. Acreditamos verdadeiramente que juntos somos maiores do que a soma das partes. Desejei-nos sorte!

E a Unbabel está aqui para remover a barreira da língua para qualquer negócio que esteja focado nos seus clientes.

Quais serão as grandes mensagens que poderemos encontrar neste evento?
Um pouco por todo o mundo, os consumidores são cada vez mais exigentes na qualidade das interações que têm com as empresas. E isto estende-se a qualquer parte de um negócio global, desde como os consumidores encontram uma solução, a como a utilizam, e a como recebem apoio do cliente quando compram os seus produtos e serviços. Para garantir uma experiência de utilizador única e personalizada em todas estas áreas, a língua é uma parte fundamental do puzzle. E a Unbabel está aqui para remover a barreira da língua para qualquer negócio que esteja focado nos seus clientes.

A Unbabel foi criada com a ambição de atingir os 70% de utilizadores da internet que não falam inglês. A quantos utilizadores chegam neste momento?
Temos um grande caminho à nossa frente até atingirmos o nosso objetivo, mas o facto de já trabalharmos com empresas como Facebook, Pinterest, Skyscanner, Booking.com, King e Under Armour – e ajudá-las a remover a barreira da língua para os seus milhões de clientes – mostra-nos que estamos na direção certa.

A empresa levantou em janeiro deste ano 23 milhões de dólares de alguns dos investidores de topo mundiais. Como decorreram as negociações?
A última ronda de investimento foi impulsionada por um crescimento muito forte por parte da Unbabel. Tivemos uma grande aceitação no mercado e isso facilitou bastante as negociações.

Estão já a desenvolver um novo produto tendo em conta este investimento?
Sim, estamos a desenvolver as nossas capacidades de transcrição.

Os nossos números de faturação não são públicos, mas posso dizer que o país que mais contribuiu foi os EUA.

Quanto faturaram o ano passado? Qual o país que mais contribui para estes números?
Os nossos números de faturação não são públicos, mas posso dizer que o país que mais contribuiu foi os EUA.

Como vê a Unbabel dentro de cinco anos?
Com uma pegada global maior, com capacidades de permitir que uma empresa global escale ainda mais rapidamente, a liderar um mercado de vários milhares de milhões de dólares.

É fácil ser-se empreendedor em Portugal?
E tão fácil ou difícil como em qualquer outro país desenvolvido. Boas ideias, o talento certo e muito esforço dão resultados em qualquer lado.

Comentários