Apesar do otimismo que acompanha os primeiros meses de  um novo ano, esse desafio pode trazer associado incertezas causadoras de algum stress e ansiedade e levar a estados de depressão.

O Business Insider publicou recentemente uma pesquisa sobre depressão na comunidade de start-ups em que apenas 7% da população global sofre de depressão, mas 30% dos fundadores de start-ups referem lidar com os efeitos da depressão. À primeira vista esta percentagem pode parecer surpreendente, mas a realidade confirma  que ser empreendedor é uma jornada pessoal complicada e na qual é muitas vezes difícil separar a identidade pessoal do negócio que se está a criar. O perigo de misturar aquilo que são reveses profissionais com pessoais pode ser um problema. Há que manter as coisas em perspetiva e não se deixar abalar. A vida, tal como os negócios, é uma viagem cheia de altos e baixos.

Mas como os empresários também não escapam a esta tendência depressiva, Chris Myers autor do Enlightened Entrepreneurship e cofundador e Ceo da  BodeTree,  partilhou algumas sugestões para que ultrapassem esse cenário.

Não está sozinho
O segredo é esforçar-se para manter sempre as coisas em perspetiva. Mas quanto mais distante estiver da situação, menos penosa ela se torna. Os problemas que enfrenta, aqui e agora, podem parecer-lhe insuperáveis, mas é importante perceber que também eles desaparecerão no tempo.

Tenha uma visão de longo prazo
Se estiver a “navegar” numa crise financeira ou se enfrentar a dura realidade de que a sua empresa não vai sobreviver no formato atual, é fácil sentir-se como se o mundo estivesse a cair à sua volta.

No entanto, a verdade é que as nossas vidas tendem a ser longas e cheias de reviravoltas. O que parece um terramoto destruidor numa determinada altura, no futuro pode ser encarado de forma diferente. Ou seja, nunca se sabe o que a vida tem reservado para nós.

Qualquer que seja a fase da sua vida em que se encontre, há uma boa chance de que o seu projeto atual não seja o seu último. Há sempre várias etapas e é importante ter uma visão de longo prazo das coisas, mesmo que pareça que o mundo está a terminar.

Peça ajuda
Nem toda a gente tem a sorte de contar com um bom apoio familiar e com uma rede de amigos que está presente sempre que é necessário, quer seja para ouvir as suas queixas e batalhas, quer apenas para “segurar na sua mão”.

Os empresários precisam ser capazes de o fazer, de pedir ajuda quando precisam. O que pode ser difícil num mundo onde todos sentem a necessidade de “esmagar” alguém o tempo todo. Por isso, pedir ajuda pode ser visto como um sinal de fraqueza, o que pode levar a que as pessoas simplesmente deixem ficar as suas dificuldades para si próprios. A comunidade de empreendedores precisa de mudar essa mentalidade. As pessoas devem sentir-se livres para obter ajuda sem o medo do julgamento, e são precisos alguns corajosos para iniciar esta mudança.

Em qualquer que seja a jornada empresarial, haverá choques e contratempos, mas mantenha os seus desafios em perspetiva e lute por eles.Por mais negra que lhe pareça a situação, lembre-se de que nunca é assim tão má.

Os empresários devem aceitar o facto de que muitos dos novos negócios falham e que mesmo aqueles que eventualmente são bem-sucedidos levam um bom tempo a arrancar. Os contratempos superarão os sucessos, e possibilidade de a maioria dos seus dias serem muito stressantes é grande.

Mas esse é o jogo que os empreendedores escolheram jogar e é a capacidade de abraçar essa realidade com garra e perseverança que faz os empreendedores.

Comentários