O Dia Mundial do Turismo assinala, este ano, a importância das tecnologias digitais para o turismo, na medida em que estas oferecem oportunidades de inovação e contribuem para preparar o sector para o futuro do trabalho.

Para a Organização Mundial Turismo, os avanços digitais e a inovação são parte da resposta ao desafio de conciliar crescimento contínuo com maior sustentabilidade e responsabilidade no setor do turismo.

O digital tem contribuído de forma decisiva para o turismo da região, e não só da região. De facto, o turismo é uma das atividades em que se nota de forma mais vincada a transformação digital que se verifica na nossa sociedade. Longe vão os tempos em que um turista, quando queria visitar uma cidade, uma região ou um país, tinha necessariamente que recorrer a uma agência de viagens física, para conhecer os pacotes disponíveis.

Hoje já não é assim. Se é verdade que as agências de viagens tradicionais souberam adaptar-se aos novos tempos, migraram para o digital com grande sucesso e continuam a oferecer um indispensável leque de serviços, também é um facto que há um segmento de viajantes que prefere planear as suas férias sem recorrer a agências. Muitos dos que chegam ao Centro de Portugal não o fazem por terem conhecido a região em agências, mas sim em sites e blogues especializados e nas redes sociais. São cada vez mais os que chegam a este território por sua conta, reservando as passagens aéreas, os alugueres de veículos e a estadia.

A inteligência de dados, a inteligência artificial e as plataformas digitais serão verdadeiramente fundamentais a médio prazo. As empresas e organizações são, cada vez mais, orientadas por dados. O desenvolvimento desta área permite a tomada de decisões baseadas em factos e dados concretos, e não por intuição ou por tentativa e erro, como era prática comum no século XX. No caso do turismo, a inteligência de dados, aliada à inteligência artificial e às plataformas digitais, permite às empresas e instituições conhecerem de forma cada vez mais exata o perfil dos turistas e viajantes – cumprindo, necessariamente, rigorosas regras éticas. Desta forma, conseguem responder de forma rápida a todas as solicitações e oferecer os produtos e serviços que mais se adequam às necessidades de cada um. É uma autêntica revolução que está a dar os primeiros passos.

A Turismo Centro Portugal está a acompanhar a inevitabilidade desta tendência. A recém-implementação do SMAT – Sistema de Monitorização da Atividade Turística, é disso um exemplo. Este sistema tem como missão a monitorização da atividade turística da Região Centro com base em indicadores de gestão adequados, enquanto fator de competitividade e sustentabilidade do destino, nas suas várias vertentes, bem como, a otimização do processo de obtenção de dados no setor do turismo, mediante uma abordagem colaborativa de trabalho em rede. Este sistema tem como objetivo geral dotar os agentes económicos do Centro de Portugal de dados rigorosos, detalhados e disponibilizados em tempo útil, relativos à atividade turística de nível regional e local.

A TCP pretende, igualmente, a criação de novas ferramentas de comunicação, adaptadas ao produto turístico e adequadas aos diferentes perfis de procura, apostando numa presença marcante nas plataformas digitais, mais centradas no turista/visitante e no seu caráter “multimotivado”. Estamos cientes da importância de haver uma aposta concertada nas plataformas digitais como meio prioritário na promoção do destino e produtos, nomeadamente, com o reforço das redes wi-fi em todo o território e criação de novas ferramentas de interação e follow up dos visitantes – smart destination / alexa skills, etc.

O Centro de Portugal, para além de pretender ser a marca do “turismo da diversidade”, pretende afirmar-se como um destino digital, com os melhores conteúdos audiovisuais, equipas técnicas com maior literacia digital e mais empresas de tecnologia e turismo. Acreditamos, que só assim, será possível garantir a inclusão social, uma maior participação das comunidades locais e o uso eficiente dos recursos na gestão.

Comentários

Sobre o autor

Pedro Machado

Pedro Machado é Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal desde 2013. Doutorado em Turismo, pela Universidade de Aveiro, é Mestre em Ciências de Educação, na Área de Especialização - Psicologia Educacional, pela Faculdade de Psicologia e... Ler Mais