Na década de 60, do século XX, um conjunto de intelectuais e artistas afro-americanos criaram o movimento Black is Beautiful que teve um profundo impacto no pensamento de milhões de pessoas no mundo.

Encontramos referências a esse movimento na política, na cultura, na arte, no desporto e de forma transversal a toda a sociedade civil.

Martin Luther King Jr., James Brown, Angela Davis, Malcolm X, o Partido Panteras Negras para Autodefesa, Fela Kuti, James Baldwin, Nina Simone e tantos outros iniciaram a luta com o racismo, em geral, e contra o KKK, na Carolina do Sul, em particular. Para além dos protestos e das manifestações que se seguiram ao assassínio de Martin Luther King Jr. criou-se na generalidade da população a firme crença da necessidade de lutar contra a violação dos direitos cívicos.

Desde essa época temos assistido a múltiplas manifestações culturais, científicas e cívicas que visam consolidar a expressão/pensamento: Black is Beautiful.

Vem isto a propósito da necessidade que existe de generalizarmos, junto das gerações mais jovens, as vantagens da aquisição de competências empreendedoras!

Já por diversas vezes aqui escrevemos[1] acerca da bondade de empreender em diferentes áreas da nossa sociedade e das consequências que isso teria na nossa economia, nomeadamente no PIB, na criação de emprego e no Índice de Desenvolvimento Humano do nosso país.

Em termos globais, há hoje a convicção de que o empreendedorismo é uma das formas de gerar riqueza e bem estar e que a capacitação dos jovens nas escolas através de programas[2] escolares que estimulem as capacidades empreendedoras é algo em que se deve apostar e que deve merecer o aplauso da generalidade da comunidade educativa! De facto, temos vindo a assistir à disseminação destes projetos, bem como, de programas de literacia financeira – Plano Nacional de Formação Financeira[3] – que visam criar uma cultura financeira de forma a que os comportamentos a que assistimos na crise financeira do final da primeira década do século XXI não se voltem a repetir.

No entanto, é preciso sermos mais ambiciosos no que diz respeito à proliferação do espírito empreendedor!
Por isso, proponho que façamos da expressão Entrepreneuship is beautiful o mesmo que as gerações passadas fizeram à expressão Black is Beautiful e que tantas mudanças produziram na humanidade!

Para isso, é preciso que haja uma explosão de criatividade e que todas e todos nos capacitemos que, para além dos benefícios económicos, financeiros e sociais do empreendedorismo, é bonito ser empreendedor e que esse deve ser o nosso lema a partir deste momento, sempre que pensarmos ou nos referirmos à relevância das competências empreendedoras!

Assim, de hoje em diante Enterpreneuship is beautiful deverá ser o nosso statement!

 

[1] http://linktoleaders.com/?s=teresa+dam%C3%A1sio
[2] Em Portugal desde o início do século XXI que o Ministério da Educação tem vindo a implantar e a consolidar Programas no âmbito da Educação para a Cidadania. In:  http://www.dge.mec.pt/educacao-para-o-empreendedorismo/recursos-educativos
[3] http://www.dge.mec.pt/educacao-financeira

Comentários

Sobre o autor

Teresa Damásio

Teresa Damásio é Administradora Delegada do Grupo Ensinus desde julho de 2016, constituído por Instituições de Ensino Superior, o ISG, por Escolas Profissionais, o INETE, A Escola de Comércio de Lisboa e a Escola de Comércio do Porto, a EPET, o INAE, o IEG – em Moçambique, o Real Colégio de Portugal, o Externato Álvares Cabral, o Externato Marquês de Pombal e o Colégio de Alfragide. Este Grupo celebrou em... Ler Mais