O futuro da mobilidade autónoma pode estar mais perto do que pensamos. A Waymo vai lançar o primeiro teste comercial de táxis autónomos em dezembro.

A Waymo, a subsidiária secreta da empresa-mãe da Google – a Alphabet -, está a planear lançar o primeiro serviço comercial de táxis autónomos no início de dezembro. A notícia foi dada pela Bloomberg que entrou em contacto com uma fonte familiarizada com os planos da empresa.

“A Waymo tem trabalhado na tecnologia de condução autónoma há quase uma década, tendo a segurança no centro de tudo o que faz”, explicou a aquela fonte – que pediu anonimato – citada pelo órgão de comunicação norte-americano.

Sabe-se também que a empresa vai operar com uma nova marca e que competirá diretamente com outros gigantes da mobilidade, como a Uber e a Lyft.

Segundo revelou aquela fonte à Bloomberg, a subsidiária da Alphabet não está a planear fazer uma grande cerimónia de inauguração e o serviço não vai chegar às lojas de aplicações mobile tão rápido quanto o desejado.

Apesar deste ser um grande passo para o universo dos carros autónomos, não haverá uma mudança radical imediata, visto que o serviço vai começar com um pequeno grupo de testers e só vai cobrir uma área de aproximadamente 160 quilómetros quadrados, nos subúrbios de Phoenix (cidade do estado norte-americano Arizona).

O lançamento deste novo serviço de mobilidade marca o final do secretismo à volta do projeto que já tem cerca de 10 anos de existência e que conta com grandes nomes nos quadros da empresa. Um deles é John Kafcik, que desde setembro de 2015 assume a posição de CEO do projeto. O diretor executivo da subsidiária da Google já foi presidente da True Car Inc. e CEO da Hyundai Motor America.

Apesar de ainda não ter sido lançado, segundo um estudo desenvolvido por seis analistas da Morgan Stanley, em agosto, o projeto vale perto de 71 mil milhões de euros.

A Alphabet não é a única empresa a querer lançar um serviço deste género. A Hyundai e a Volkswagen têm intenção de lançar táxis autónomos até 2021 e a Ford e a Toyota estão a investir no desenvolvimento de projetos semelhantes.

Comentários

Sobre o autor