A Startup Braga vai promover, entre os dias 12 e 14 de setembro, um roadshow internacional onde vão ser apresentadas seis start-ups portuguesas ao mercado britânico. Conheça as start-ups incluídas nesta iniciativa.

A aceleradora e incubadora nortenha vai dar oportunidade a seis start-ups nacionais, que têm o mercado do Reino Unido como prioritário, de se darem a conhecer a novos investidores internacionais. O ponto essencial desta iniciativa é tentar internacionalizar e expandir estes projetos para um dos mercados tecnológicos e empreendedores mais fortes da atualidade.

Conheça as start-ups que vão a Londres com a Startup Braga.

Loqr:

A Loqr é uma start-up que oferece esquemas de autenticação, sem recurso a palavras passe, com uma forte componente de “plug and play” e uma abordagem adaptativa de risco. O principal intuito da Loqr é criar um produto de autenticação que seja, ao mesmo tempo, de utilização simples e que tenha a máxima segurança.

Kide:

A Kide é uma loja agregadora de várias marcas de roupa para crianças. Esta start-up portuguesa inclui apenas marcas independentes de todo o mundo. A ida a Londres poderá ser bastante proveitosa para a Kide visto que grande parte da roupa apresentada na plataforma provém do Reino Unido.

Magikbee:

A Magikbee quer aproveitar algum do tempo que as crianças passam nos smartphones e nos tablets para promover atividades educativas, utilizando este tipo de aparelhos digitais.

Nutrium:

O Nutrium é um software desenhado para os nutricionistas acompanharem mais facilmente os seus pacientes. O objetivo é melhorar o acompanhamento através da monitorização nutricional dos pacientes.

Performetric:

Um sistema adaptativo que monitoriza em tempo real a fadiga mental. A promessa desta start-up é de reduzir o cansaço psicológico até 50%, duma maneira não invasiva nem intrusiva.

WonderCover:

A WonderCover é um gadget que torna qualquer tablet num tabuleiro de jogos, dando a possibilidade de fazer um jogo em grupo sem haver necessidade dos jogadores se reunirem presencialmente.

 

Mariana Gomes, fundadora da Shairart e MUB Cargo e uma das participantes da primeira edição do roadshow da Startup Braga, afirmou no comunicado enviado que “tivemos a oportunidade de conhecer investidores habituados a rondas na ordem dos milhões, que nos fizeram as perguntas certas sem simpatias escusadas. Para mim foi um choque, no bom sentido, porque senti pela primeira vez a frieza do investimento. Voltei com uma noção muito mais realista de como tudo funciona e do que fazer para me integrar melhor neste ecossistema”.

É de salientar que 23% das start-ups apoiadas pela incubadora/aceleradora de Braga conseguiram internacionalizar-se, tendo já escritórios no estrangeiro.

 

Comentários