O kick-off do 6.º Programa de Aceleração da Startup Braga aconteceu ontem com 12 equipas de três países.

São 12 as start-ups, de três nacionalidades – Portugal, Reino Unido e Alemanha – que vão participar na 6.ª edição do Programa de Aceleração da Startup Braga.  O kick-off do programa realizou-se ontem, em Braga, num evento que contou com a presença de Stephan Morais, fundador da Indico Capital Partners, como orador convidado.

Também marcaram presença alumni de start-ups da comunidade da Startup Braga que já participaram em programas de aceleração e que ao longo desta nova edição vão aconselhar e transmitir ensinamentos sobre como tirar o melhor proveito da experiência.

Alexandre Mendes, diretor da Startup Braga, explicou que o número elevado de candidaturas recebidas “reforça a dimensão única e internacional do Programa de Aceleração da Startup Braga, que se diferencia pela sua especificidade, muito associado a projetos relacionados com Nanotecnologia, Tecnologias de Saúde e Economia Digital, mas também pelo ecossistema que existe em Braga e as múltiplas valências que esta cadeia de conhecimento encerra e que é colocada à disposição das start-ups participantes. O nosso principal objetivo é fazer crescer e levar estas start-ups o mais longe possível”.

As 12 start-ups selecionadas têm backgrounds bastante distintos:
– SafeCloud:
pesquisa infraestruturas em nuvem desenvolvendo tecnologia de privacidade por design para comunicação, armazenamento e processamento seguros.
– Airchill: um ventilador que fornece ar frio para salvar a vida das pessoas e o tecido cerebral pós-AVC e reanimação com o desfibrilador ECG + integrado e a bomba de vácuo.
– Biofabics: dispositivo organ-on-chip que permite criar e testar réplicas biológicas de tecidos e órgãos humanos.
– Nutrion Ivy: nutricionista digital e personalizado que conhece a situação de vida do utilizador e entende o que isso significa para a ingestão diária ideal de vitaminas e minerais bem como os requisitos de dieta.
– Nevaro: ferramenta para o tratamento de doenças psiquiátricas que combina realidade virtual / realidade aumentada (VR / AR) e neurociências.
– SIIP: Simplifica e acelera a investigação criminal e a justiça, reduzindo o tempo e o erro.
– GoPaddler: app que permite que treinadores obtenham acesso a dados de desempenho de qualidade de seus atletas durante e após cada sessão.
– Taikai: plataforma de inovação aberta que permite que empresas (ou grupos de empresas) coloquem seus desafios de inovação e atribuam um prémio.
– Premium Label: online retailer de carros de luxo, que permite que as lojas vendam as suas unidades através duma única plataforma.
– Izirepair: um marketplace de manutenção de carros, que permite aos clientes obter cotações instantâneas dos serviços para os seus carros.
– OscarApp: app que permite chamar um trabalhador a qualquer momento, em qualquer lugar. Com base em algoritmos de distância, tempo e qualidade, a app seleciona o melhor profissional para resolver o problema.
– Git/Scale: plataforma de análise de código revolucionária que agrega um incentivo económico aos projetos de código aberto, recompensando os seus programadores com base no mérito da sua contribuição de código.

Cabe aos mentores, especialistas e parceiros da Startup Braga aconselhar as start-ups sobre os próximos passos a seguir e acompanhá-las ao longo deste processo de aceleração.

Refira-se que, nos últimos cinco anos, este programa de aceleração já apoiou 41 equipas. O programa foi desenhado start-ups ligadas aos três verticais de atuação da Startup Braga – Nanotecnologia, Tecnologias de Saúde e Economia Digital – e envolve uma série de bootcamps cujo objetivo é dotar as equipas das competências necessárias para validarem o seu modelo de negócio e levarem o produto a outros mercados.

Comentários