Começaram ontem as inscrições para o programa Data Pitch, um projeto de aceleração destinado a start-ups europeias.

As start-ups interessadas em concorrer ao Data Pitch têm obrigatoriamente de estar sediadas num dos 28 países da União Europeia (ou então num dos países associados do programa Horizonte 2020), e estarem registadas como PME junto da Comissão Europeia. As start-ups devem atuar em áreas que vão desde a previsão de tendências do retalho, infertilidade masculina ou serviços de concierge para autoridades locais, tudo através do tratamento de dados. Por outro lado, têm de demonstrar capacidade para aceder de forma segura a dados de terceiros, provando como os vão utilizar.

Ao participarem neste acelerador, as start-ups podem receber 100 mil euros de financiamento (a fundo perdido sem tomada de capital), mentoria de especialistas, oportunidades de investimento, bem como acesso a dados gerados por várias grandes empresas, e pelo sector público. Este investimento vai premiar as soluções que estejam em conformidade com os desafios do programa, recorrendo a uma combinação de dados abertos, fechados e partilhados.

A Met Office, Konica Minolta e Greiner International Packaging são alguns dos mais recentes parceiros corporativos que aderiam ao programa, partilhando os seus dados com as start-ups inscritas no Data Pitch. Também a multinacional de telecomunicações Altice, o GROW Observatory (da Universidade de Dundee), a plataforma de serviços financeiros MASAI e a Jose de Mello Saude estão envolvidas nesta iniciativa.

Como explicou Elena Simperl, diretora do projecto, “um objetivo central do Data Pitch passa por encorajar a circulação de dados entre diferentes entidades, gerando todo um ecossistema de inovação, onde várias organizações trabalham de perto com start-ups ágeis, de forma a aprenderem uns com os outros, e recorrendo aos dados como algo que os ajuda a resolver os problemas. Ao aplicar um modelo de inovação deste tipo e escala, conseguimos atrair algumas das mentes mais criativas do universo de start-ups Europeu”.

No mercado nacional cabe à Beta-i, em parceria com a Comissão Europeia, assegurar a coordenação deste programa de aceleração. As inscrições decorrem até dia 2 de outubro.

Comentários