Lançámos um desafio à DNA Cascais: eleger a start-up deste mês. A eleita foi a D-Orbit, cujo projeto de recolha de dados atmosféricos conseguiu obter aprovação por parte da Comissão Europeia, no âmbito do programa Horizonte 2020.

Nome da Start-up: D-Orbit PT

Fundadores: Luca Rossetinni e Gonçalo Lopes

Atividade: A D-Orbit desenvolve sistemas de propulsão, especialmente focados para a remoção de satélites de órbita. Estes dispositivos são instalados no satélite antes do seu lançamento e permitem uma remoção de órbita rápida, eficaz e segura. Assim, a D-Orbit está a contribuir para a redução do lixo espacial, protegendo todo o equipamento operacional em órbita. Em Portugal, a equipa foca-se no desenvolvimento de todo o software crítico necessário à operação destes motores, bem como em projetos adicionais focados num novo formato de satélites que está em franco crescimento, os Cubesats.

Volume de negócios: Ainda em fase de I&D.

Plano de negócios: Em Portugal, o projeto divide-se em duas vertentes independentes. A mais importante é o fornecimento de serviços de desenvolvimento de software para a empresa-mãe. A outra passa pelo desenvolvimento de aplicações para Cubesats, tanto ao nível de hardware como de aplicações transversais, que permitam a recolha de dados atmosféricos. Neste momento, a D-Orbit já submeteu uma patente de uma solução de propulsão para Cubesats, totalmente desenvolvida pela equipa portuguesa.

Por que merece destaque: Recentemente, o projeto de recolha de dados atmoféricos da D-Orbit Portugal conseguiu obter aprovação por parte da Comissão Europeia, no âmbito do H2020 – programa-quadro de investigação e inovação da União Europeia. Ao reutilizar a sua tecnologia de propulsão de uma forma inovadora, a D-Orbit consegue recolher novos dados, de uma forma mais simples e económica que as soluções atuais.

“Estes novos dados contribuem não só para o aumento do conhecimento científico, como também para a melhoria de operações comerciais, como é o caso da aviação e navegação por satélite. A primeira missão de demonstração irá ser lançada nos próximos meses e irá conseguir recolher um conjunto inicial de dados, para demonstrar a viabilidade dos mesmos, bem como a capacidade de operação num ambiente tão hostil”, explica a DNA Cascais.

Outra informação relevante: Em abril de 2017, a D-Orbit irá lançar a sua missão de demonstração, a D-SAT, através da qual um pequeno satélite será lançado, levando a bordo a primeira versão do sistema de propulsão desenvolvido pela empresa, bem como o software desenvolvido pela equipa portuguesa.

Através do projeto de recolha de dados atmosféricos, a D-Orbit PT já conseguiu fazer parte do grupo de empresas aceites para incubação da Agência Espacial Europeia (ESA Business Incubation Center), estando incubada na DNA Cascais.

Site: http://www.deorbitaldevices.com/

Comentários