A Lyme-Log your message desenvolveu uma plataforma digital que substitui o tradicional correio registado e procura agentes para expandir o serviço.

Um serviço que traz para o mundo digital a formalidade legal do correio registado e aviso de receção dos serviços postais tradicionais.  Em suma, o equivalente eletrónico ao correio registado. Esta pode ser a caracterização da Lyme-Log your message, a start-up de Braga que, no final de 2015, começou a desenvolver este processo inovador de registo de correio eletrónico.

“O projeto Lyme surgiu de um problema bastante complicado durante o desenvolvimento de um negócio no Ghana”, explica António Machado, CEO do Lyme.“A falta de meios locais para proceder à entrega de documentação de forma registada (correios e até vias de comunicação) gerou posteriormente um problema de responsabilidade contratual que apenas se conseguiu resolver no tribunal”, esclarece. Foi assim que surgiu o Lyme. Uma forma de efetuar um registo formal digital da transmissão da informação. Ou seja, um registo com aviso de receção formal que cumpre todos os requisitos legais que opera sobre o email corrente. Para além dos dois fundadores, os irmãos António e Sérgio Machado, o projeto conta atualmente com cinco colaboradores.

Simples e eficaz
Desenvolvido para poder ser utilizado por todos, a plataforma Lyme tem, contudo, o seu foco direcionado para as grandes instituições publicas e privadas, tais como banca, seguradoras, gestores de carteira de divida, municípios, entre outros.

Mas como se processa o serviço? O CEO da Lyme explica: “Utilizando o nosso serviço, o cliente tem a certeza que a sua transmissão será apenas lida depois de confirmada a vontade de receber pelo destinatário e nunca antes. Depois dessa confirmação pelo destinatário, o Lyme emite um registo completo da transmissão, com o caminho completo que a mensagem percorreu entre o seu momento de criação e a aceitação pelo destinatário. Nesse registo inclui o corpo de texto da mensagem e com um selo temporal, bloqueia o seu conteúdo a possíveis adulterações posteriores. Finalmente, esse registo é enviado para o remetente e para o destinatário para que qualquer das partes possa ter toda a informação sobre a transmissão para que, caso necessário, possa ser utilizada em qualquer tipo de questão judicial”.

A aplicação geográfica do serviço não tem fronteiras. Isto é, uma das maiores valias do Lyme é a capacidade de fazer um registo para o sítio mais remoto do globo com a mesma facilidade, custo e rapidez de o fazer para a porta do lado. Por isso, “o Lyme é um produto desenhado para o mercado global e é dessa forma que esperamos a médio prazo possamos vir a operar”, afirma António Machado.

Pelo caminho, como qualquer outra start-up, sofrem as “dores de crescimento” associadas, na maioria dos casos, “à morosidade que o nosso cliente alvo tende a ter para qualquer decisão de alteração de processos. Absolutamente compreensível, uma vez que se tratam das mais prestigiadas e maiores instituições e empresas, mas que, de facto, fazem um processo de integração praticamente instantâneo, demorar meses…”

Nada que impeça a estratégia de expansão do projeto que, ainda no final do ano passado, participou no Fintech Connect, a maior feira do Reino Unido na área do fintech. “Foi uma experiência muito interessante. Fizémos excelentes contactos com potenciais clientes e interessados em ser agentes Lyme em Inglaterra”, revelou o CEO.

Neste momento, a equipa Lyme está a trabalhar no sentido de incrementar algumas funcionalidades que, “embora não imperativas para a operação da plataforma, são extremamente importantes para que esta se torne cada vez mais simples e de fácil utilização pelas grandes instituições publicas e privadas”. Comercialmente, reconhece, “ainda somos muito jovens e, por isso, o nosso primeiro objetivo é concretizar o maior número de negócios possível com clientes de grande dimensão.

Agentes procuram-se
Como explicou o responsável da Lyme-Log your message, esta fase de angariação de clientes de grande dimensão é muito importante para o Lyme e, por isso, agentes, sejam empresas ou particulares, que se mostrem interessados em trabalhar neste projeto.
“Desenvolvemos um programa de agenciamento dos nossos serviços (válido para Portugal e para o estrangeiro) para que seja fácil para os nossos parceiros trabalhar com o Lyme e para que possam rentabilizar ao máximo o esforço despendido”, esclareceu.

Resumo
Responsáveis: António Machado
Área: Plataforma digital
Mercado: Nacional e internacional
Necessidade: Agentes
Contactos: agentes@lyme.pt //https://logyourmessage.com/

Comentários