O Shark Tank norte-americano já tem oito temporadas. Neste artigo pode encontrar os cinco negócios mais valiosos de sempre feitos no programa.

Com oito temporadas e 170 episódios, já foram centenas os pitches apresentados aos investidores no Shark Tank norte-americano. Se não conhece o programa, a ideia é simples: é dada a oportunidade a vários empreendedores de apresentarem o seu projeto aos investidores e de proporem um montante de dinheiro em troca da participação de um dos “tubarões” na empresa. Se o empreendedor chegar a acordo com um dos investidores o negócio é fechado.

A próxima lista diz respeito aos cinco negócios com maior sucesso no Shark Tank norte-americano.

  1. Buggy Beds

O primeiro projeto desta lista é também o único que os cinco tubarões morderam ao mesmo tempo. Buggy Beds é um sistema de deteção e de prevenção para percevejos e pulgas. Neste negócio, Mark Cuban, Kevin O’Leary, Daymond John, Robert Herjavec e Barbara Corcoran ficaram com 25% em troca de 250 mil dólares (≈210 mil euros).

Pouco tempo depois do pitch no Shark Tank, a Buggy Beds cresceu para mais de 23 países e conseguiu mais de um milhão de euros em vendas.

  1. Tipsy Elves

Os dois amigos criadores da Tipsy Elves mostraram ao mundo dos empreendedores que, muitas vezes, não é preciso reinventar a roda para ter uma boa ideia. Este par dinâmico criou uma linha de roupa propositadamente feia para as pessoas vestirem em épocas festivas, especialmente no Natal. O único investidor interessado na Tipsy Elves foi Robert Herjavec, que conseguiu 10% do projeto por 100 mil dólares (≈84,5 mil euros).

Antes irem ao Shark Tank, o par tinha vendido pouco mais de 500 mil euros em produtos. O crescimento depois do programa televisivo foi abrupto e a empresa teve, no final do ano passado, vendas no valor total de 6,75 milhões de euros.

  1. Groovebook

Quantas vezes já pensou imprimir algumas fotografias do seu smartphone e colocar num álbum físico? A Groovebook montou um sistema de subscrições em que, por apenas 2,99 dólares (2,5 euros), recebe todos os meses um álbum físico em sua casa com 100 fotografias do seu smartphone à sua escolha. A ideia agradou Mark Cuban e Kevin O’Leary que, por 150 mil dólares (≈125 mil euros), ficaram com 80% dos direitos de autor.

Depois do pitch, a Groovebook aumentou os seus subscritores em mais de 50 mil e, em 2014, foi adquirida pela Shutterfly Inc. por 12,25 milhões de euros.

  1. Squatty Potty

A Squatty Potty é o segundo negócio do Shark Tank a dar mais frutos após o programa. Criado por mãe e filho, este projeto baseia-se na necessidade de nos termos de agachar na sanita. Para tal, a Squatty Potty ajuda os seus utilizadores a ficarem sentados de uma forma mais saudável e que, alegadamente, não danifica o trânsito intestinal. Lori Greiner viu uma oportunidade e comprou 10% da empresa por 350 mil dólares (≈295,75 mil euros)

Apenas 24 horas depois do programa ter ido para o ar, a empresa teve mais de 845 mil euros em vendas. Em 2016, a Squatty Potty teve mais de 25 milhões de euros em vendas.

  1. Scrub Daddy

Uma esponja reutilizável e multifunções que fica dura com água fria e mole com água quente. Foi este o produto com mais sucesso durante as oito temporadas do Shark Tank norte-americano. Tal como no produto anterior, foi Lori Greiner, a rainha do canal de vendas QVC, que viu a oportunidade do produto. A investidora conseguiu 20% da empresa, por um total de 200 mil dólares (≈170 mil euros).

Antes do Shark Tank, a empresa tinha apenas 85 mil euros em vendas. Depois do programa, as receitas já ultrapassaram os 42 milhões de euros.

Comentários