O projeto da área farmacêutica está à procura de investidores para aumentar a sua presença no mercado nacional e para se conseguir internacionalizar, apoio de tradução e de marketing e comunicação.

Criada em 2014, a SerFarma nasceu da ideia entusiástica de um grupo de farmacêuticas, especialistas em acompanhamento farmacoterapêutico, e de um engenheiro informático que queriam tornar mais acessível a informação e a utilização racional de medicamentos.

O projeto já foi apoiado pelo programa de financiamento da União Europeia Horizonte 2020 e foi distinguido com o Seal of Excellence da Comissão Europeia.

A start-up apresenta dois serviços:

– MedImprove, um software que identifica problemas de saúde de menor gravidade e apoia o tratamento, melhora a saúde e apoia a automedicação responsável e permite prestar um serviço de aconselhamento de maior qualidade, especialmente nas situações mais complexas de decisão clínica.

– MedicamentoCerto.pt, uma versão do MedImprove mais acessível ao cidadão comum.

O que procuram:
A SerFarma está atualmente à procura de investimento para dois propósitos: no mercado nacional quer aumentar a tração e reconhecimento das soluções digitais em torno dos medicamentos – precisando, desta forma, de apoio em marketing e comunicação. No panorama internacional, quer entrar nos mercados espanhol e alemão. Nestes dois últimos, a start-up conta-nos que já tem uma “estratégia, parceiro e estrutura de custos perfeitamente identificada e definida”.

Procuram ainda a abertura de portas para entrada num dos possíveis clientes estratégicos identificados, sendo estes: empresas de grande retalho, seguradoras com presença na área de saúde ou com produtos de saúde e linhas de atendimento da área da saúde.

Próximos passos e prospeções:
Os próximos passos da start-up passam por introduzir novas funcionalidades, que já estão previstas em termos de lançamento, traduzir as plataformas para outras línguas, encontrar clientes para o mercado nacional e encontrar financiamento para a internacionalização e divulgação nacional.

A SerFarma prevê, no final do terceiro ano de atividade, um volume de negócios de 1,6 milhões de euros, com uma margem de lucro superior a 30%, e prevê, ainda, já estar presente nos mercados alemão e espanhol. Em termos de visualização da plataforma, a start-up prevê 2,4 milhões de visitas por ano.

Resumo
Responsável:
Cristina Silva, CEO.
Área: Literacia, Informação e Formação em Saúde.
Produto: Plataforma de informação sobre medicamentos não sujeitos a receita médica.
Mercado: Portugal (com previsão de entrada nos mercados espanhol e alemão).
Necessidade: Investimento, marketing e comunicação e parcerias.
Contacto: nlages@serfarma.pt | +351 934 017 030

 

 

Comentários