Agora que termino o mandato de Presidente do GRACE, depois de sete anos nos órgãos sociais, escolho como tema desta minha última colaboração a saída.

Terminar um ciclo profissional, principalmente se ele foi gratificante, é sempre difícil, mas a saída é, também, um momento de reflexão e de avaliação. É, igualmente, uma fase de auto-crítica e de reposicionamento perante o nosso percurso e o nosso futuro.

O momento que escolhemos para terminar a nossa liderança e a forma como o fazemos é crucial na nossa vida e também tem impacto na vida das organizações a que pertencemos e das pessoas que connosco colaboram.

É uma decisão que deve ter em conta cinco pressupostos:

  • A consciência de ter cumprido a missão a que nos propusemos;
  • A vontade de iniciar outro projeto;
  • A preparação da sucessão, evitando ruturas;
  • A adoção de uma estratégia gradual de desvinculação que permita a adoção de novos hábitos;
  • A possibilidade de proceder a uma despedida grata de todos os que se cruzaram connosco nesse processo.

Ser líder é saber que estamos no exercício de um mandato transitório, que devemos deixar um legado sólido, uma marca reconhecível mas que devemos estar preparados para as alterações que o líder seguinte quer imprimir.
O prolongamento excessivo do exercício da liderança retira a imaginação, a capacidade de inovar, de ver à distância e torna-nos reféns da nossa própria gestão e incapazes de a ver em perspetiva.

Ser líder significa que estamos preparados para ser substituídos e que essa mudança será uma mais-valia para a organização.

Está ainda bem presente o exemplo funesto de Mugabe e de outros líderes governamentais e associativos que se eternizaram e eternizam no poder e continuamos a identificar à nossa volta, e em todos os setores, demasiados exemplos de quem não sabe sair a tempo, de quem invoca o álibi de que não há ninguém à altura dos desafios ou disponível para o enfrentar.

Sair é abrir uma porta para podermos abrir outra. Não precisamos de ter medo, podemos sempre voltar, como visita amiga.

Até sempre.

*Em representação da Fundação Montepio

Comentários

Sobre o autor

Paula Guimarães

Paula Guimarães é Diretora do Gabinete de Responsabilidade Social do Montepio Geral, administradora das Residências Montepio, Membro da Direção da Juniors Achievment e Formadora voluntária. Foi Presidente da Direção do GRACE, em representação da Fundação Montepio. É ainda docente na... Ler Mais