Às vezes fico triste quando estou a escrever. Parte da minha investigação é sobre como é que as pessoas usam os números para melhorar a sua imagem lá na empresa. Os meus dados mostram que funciona. Que é uma boa ideia fazer de conta que se é melhor do que o trabalho que fazemos e dos resultados que obtemos. A investigação sobre a utilização de redes sociais para auto-promoção diz a mesma coisa.

Dar nas vistas é bom para a carreira. Mas é um comportamento perigosamente oco. De tornar a embalagem melhor que o conteúdo.

Pensei muitas vezes sobre isto em 2018. Não é um problema fácil de resolver. Porque é verdade que a imagem que transmitimos é muito importante. Mais, a nossa imagem é a base da nossa identidade. Não podemos simplesmente deixar a nossa imagem ao acaso.

Pensei muitas vezes sobre isto em 2018 e acho que encontrei a solução. Uma maneira positiva de apresentar a melhor imagem que o nosso trabalho permite. Uma gestão de imagem que deixa um sabor doce em vez do sabor amargo que deixam muitos posts no LinkedIn hoje em dia.

A solução que encontrei também é a minha resolução de novo ano para 2019. Tornar o trabalho das pessoas que me rodeiam mais visível. Em vez de nos preocuparmos em mostrar o trabalho que fazemos e os objetivos que atingimos, vamos mostrar lá na empresa e no LinkedIn o trabalho e o sucesso dos outros. Não porque esperamos que os outros façam o mesmo em troca. Sim porque nos permite apresentar uma imagem fantástica de liderança: a imagem de alguém que está mais focado no sucesso dos outros do que no seu próprio sucesso pessoal.

Além de acabar com a auto-promoção, há três outras vantagens em promovermos o sucesso dos outros.

Primeiro, promover o sucesso dos outros cria uma predisposição para a descoberta e a aprendizagem. Leva a que cada um de nós tente descobrir o que é que os outros estão a fazer e que resultados é que os outros estão a atingir.

Segundo, promover o sucesso dos outros faz com que cada você ocupe uma posição central nas redes informais de aprendizagem e aconselhamento, lá na empresa ou no LinkedIn. Você passa a ser a fonte de informações e novidades sobre o que os outros estão a fazer bem.

Terceiro, promover o sucesso dos outros ajuda-o a criar capital social livre da norma da reciprocidade. A norma da reciprocidade diz que o capital social que cada um de nós tem resulta do que fazemos pelos outros. Por isso precisamos que as outras pessoas nos peçam favores para acumular capital social. Promover o sucesso dos outros torna-nos credores das outras pessoas por nossa própria iniciativa.

Claro que estas três razões são a justificação egoísta e calculista para fazer brilhar os outros. Eu prefiro tornar o trabalho dos outros visível porque é a coisa certa e porque de vez em quando encoraja os outros a dar o seu melhor.

Bom 2019!

Comentários

Sobre o autor

João Vieira da Cunha

João Vieira da Cunha é escritor. Utiliza uma variedade de meios para partilhar as suas ideias, desde as mais prestigiadas revistas científicas na área da gestão até uma conta rebelde no Twitter. É doutorado em Gestão, pela Sloan School of... Ler Mais