Esta é a história de uma fundadora que teve mais de 700 reuniões com investidores antes de conseguir atingir o seu sonho: criar um fundo 100% dedicado a mulheres empreendedoras.

Em 2014, Anu Duggal tinha acabado de vender a sua start-up de e-commerce Exclusively.in. Depois de ter sido bem-sucedida com o seu primeiro projeto, Duggal precisava de uma nova missão.

Foi nesta altura que nasceu a ideia de criar um fundo de investimento totalmente dedicado a mulheres empreendedoras. Este projeto seria pessoal para Duggal, visto que a sua experiência enquanto mulher fundadora lhe dizia que havia uma grande disparidade entre empreendedores e empreendedoras no que tocava a receber investimento (um estudo recente revelou que as mulheres têm duas vezes mais dificuldades em levantar valores superiores a 100 mil dólares).

O objetivo de Anu Duggal não era apenas financiar projetos de mulheres fundadoras, mas também criar uma comunidade onde as empreendedoras pudessem contar com mentores e com apoio na aventura que é o empreendedorismo.

Anu descreve a resiliência, e o facto de não ter medo de ser rejeitada por outras pessoas, como as suas principais qualidades. Esta característica, desenvolvida enquanto ainda era empreendedora, foi-lhe especialmente útil no tarefa de iniciar este novo projeto.

Prova disto mesmo é que só depois de mais de 700 reuniões com investidores é que conseguiu juntar pessoas com a mesma visão e que estavam dispostas a apoiar o empreendedorismo feminino. Desta resiliência nasceu a Female Founders Fund, que investe em projetos ainda em fases iniciais.

Numa entrevista ao Entrepreneur, Anu Duggal admite que antes de ter começado o fundo pouco ou nada sabia sobre investimento, mas aconselha qualquer pessoa que comece um projeto inserido numa indústria que desconhece a não desistir e simplesmente recorrer a especialistas que possam ajudar.

Atualmente, quatro anos depois de ter começado esta aventura, a Female Funders Fund já tem mais de 30 empresas no seu portfólio, incluindo a conhecida start-up de media Thrive Global.

Comentários