Tem um armário cheio de roupa, mas tem sempre a sensação de que não tem nada para vestir? Ou, habitualmente, usa apenas 20% do que tem? Se é daquelas pessoas que compra por impulso, por certo já se arrependeu de muitas situações. Aprenda a fazer escolhas mais inteligentes, de forma a rentabilizar o seu guarda roupa. Assim, vai poupar tempo e dinheiro.

Tal como refiro no meu livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo“ existem peças básicas em que deve investir, pela sua versatilidade, intemporalidade e durabilidade. Além disso, é importante avaliar se as escolhas que faz estão de acordo com o seu estilo de vida e profissão, bem como se valorizam o seu tipo de corpo. As compras devem estar sempre ajustadas à sua realidade e necessidades.

As roupas com cortes clássicos, em tons neutros e materiais de qualidade são sempre as melhores opções para a base do seu guarda-roupa. Ou seja, são as peças que deve ter em maior quantidade. Lembre-se de que estas podem ser usadas em vários contextos, permitem uma maior diversidade de combinações e não passam rapidamente de moda.

1 – Aposte em cores neutras
Os tons neutros (cinzento, preto, branco, azul-escuro, verde-escuro, beringela, camel, bege e castanho) oferecem maiores possibilidades de conjugação e não cansam visualmente, pelo que devem ser a base do seu guarda-roupa. Um casaco ou calças cinzentas ficam bem com qualquer tom. No entanto, a cor também dá mais vida ao rosto e revela a sua personalidade, pelo que deve ter algumas peças coloridas, de forma não ficar com um look demasiado monótono. Uma boa forma de usar cor é através de acessórios, como um lenço, gravata ou mala.

2 – Compre peças versáteis
Na hora de comprar uma peça, valorize as que se adaptam a várias situações e contextos. Outro ponto fundamental é avaliar se estas combinam com os restantes artigos do seu armário. Quanto mais combinações conseguir fazer, mais irá rentabilizar o seu guarda roupa. Artigos como umas calças pretas clássicas, camisa branca, blazer, jeans ou trench coat são boas opções, pois podem ser usadas em diversos ambientes.

3 – Invista em qualidade
Em vez de comprar muitas peças mas de aspeto barato, invista em peças de boa qualidade. Além disso, os artigos de qualidade, quando bem cuidados, permanecem impecáveis por muito mais tempo e têm um toque mais agradável em contacto com a pele. Se necessário, aproveite os saldos ou outlets para adquirir, por exemplo, um bom casaco, fato, mala, sapatos ou vestido.

4 – Valorize a intemporalidade
Aposte nos básicos de guarda-roupa, que nunca passam de moda. Os cortes mais estruturados e simples, assim como os padrões de pequena dimensão, como as riscas e o xadrez, também são intemporais. Exemplo disso, são os modelos de corte clássico, como um blazer de dois botões, umas calças a direito, uma camisa branca ou uns scarpins.

5 – Prefira clássicos em vez de tendências
Todos os anos, a indústria da moda lança novas tendências. Porém, estes artigos mais marcantes passam de moda rapidamente e chamam mais a atenção. Ou seja, se usar aquela blusa com folhos ou saia com estampado de leopardo, na mesma semana, é provável que todos vão reparar e que também se canse de a vestir. Pelo contrário, pode usar frequentemente um blazer preto ou jeans clássicos, durante anos, sem ninguém se aperceber. Por isso, o meu conselho é comprar peças tendência de marcas mais acessíveis e investir algum dinheiro nos básicos de moda. Lembre-se de que pode combinar peças clássicas com apontamentos mais criativos e trendy para criar um visual mais interessante, pelo que não tem de se vestir de forma aborrecida.

Comentários

Sobre o autor

Rita Carvalho

Rita Carvalho é consultora de Comunicação e Imagem. Autora do livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo”, é licenciada em Relações Públicas, tem uma pós-graduação em Comunicação e Gestão Das Organizações, e o curso de Imagem Pessoal e Profissional da Blossom Image Consulting. Colaborou ainda com vários media e é autora do blogue In Styleland.