Conheça alguns países que aceitam empreendedores estrangeiros através de programas como o Startup Visa português.

Desde março, Portugal tem as portas abertas para os empreendedores estrangeiros que queiram desenvolver os seus negócios em território luso. Este tipo de ações atrai talento, cria oportunidades de negócio dentro do país e, por consequência, diminui a taxa de desemprego. Um estudo recente, realizado na cidade de Lisboa, concluiu que foram criados mais de 5000 postos de trabalho através de start-ups.

Este tipo de iniciativa, intitulada Startup Visa, é uma das maneiras de importar talento e criar emprego, mas não é exclusiva de Portugal. Neste artigo apresentamos-lhe oito países que têm programas semelhantes ao português. Também listamos os requisitos principais para cada um dos locais (para informações mais detalhadas clique no nome do programa).

Reino Unido – Tier 1 (Entrepreneur) Visa

– Ter no mínimo 16 anos;
– Acesso a pelo menos 57 mil euros de capital para investir;
– Passaporte válido;
– Um plano de negócios;
– Ter um certificado de língua inglesa ( nível B1);
– Ser autossuficiente durante a estadia;

Dinamarca – Start-up Denmark

– O plano de negócios tem de ser aprovado pelo governo dinamarquês;
– Provas de que consegue ser financeiramente autossuficiente durante o primeiro ano. No caso de querer aventurar-se a viver na Dinamarca sozinho terá de ter, pelo menos, 18 mil euros disponíveis.
– Precisa de ter um papel ativo na criação do negócio. Não serão garantidos passaportes a pessoas com papéis pouco ativos no negócio, como o caso de um acionista.

Suécia – Residence permits for the self-employed

– Experiência comprovada na área em que quer investir;
– Conhecimento comprovado de inglês ou sueco;
– Passaporte válido;
– Provas de que os produtos e/ou serviços vão ser vendidos/ produzidos na Suécia;
– Provas de que gere e tem responsabilidade no negócio e que detém, pelo menos, 50% deste;
– Tem de ter contactos de potenciais clientes ou estar inserido numa rede;
– Planos para que o negócio seja lucrativo dentro de dois anos e que consiga sustentá-lo (e à sua família, caso de aplique);
– Fundos suficientes para ser financeiramente autossuficiente durante os primeiros dois anos. No caso de arrancar sozinho precisa de ter, pelo menos, 20 mil euros;

Irlanda – Start-up Entrepreneur Program

– Provas de que o negócio é inovador e tem potencial para a economia do país;
– Tem de ter acesso a 75 mil euros em financiamento;

Singapura – EntrePass

– Passaporte válido;
– Cartas de recomendação/ testemunhos de antigos empregos (escritos em inglês);
– Provas de que tem experiência no mundo do empreendedorismo;
– Plano de negócios;
– Plano de implementação do negócio;
– Ter um depósito de 43 mil euros (50 mil dólares) num banco singapuriano;

Nova Zelândia – Entrepreneur Work Visa

– Passaporte válido;
– Ter mais de 17 anos;
– Plano de negócios;
– Ter, no mínimo, 60 mil euros em capital disponível;
– Conhecimento comprovado da língua inglesa;

Austrália –  Investors & Entrepreneurs Visa

– Há três tipos de Startup Visas diferentes, clique no nome do programa e perceba qual é que se adequa mais.

Alemanha – Entrepreneur Visa for Germany

– O negócio tem estar sediado na Alemanha, de forma a estimular o investimento no país;
– Ideia de negócio inovadora;
– Negócio financiado com capital próprio ou com crédito já aprovado;
– Experiência passada no mundo do empreendedorismo e contactos no país são fatores importantes para conseguir uma permissão de residência;

*fotografia de: Lucia Otero

Comentários