Pagamentos com divisas digitais em crescimento, insurtech, adaptação ao novo mercado e manter os projetos privados. Confira quatro tendências que podem marcar as fintech em 2019.

A área das start-ups financeiras de base tecnológica (comummente conhecidas como fintech) esteve em constante crescimento nos últimos anos e, em 2019, não se espera algo de diferente. O foco atual passa por inovar em todos os setores que ainda não foram modernizados e consolidar os negócios que já estão estabelecidos no mercado.

A Forbes divulgou recentemente um artigo onde expõe as quatro tendências para este ano. Para que se mantenha atualizado sobre o futuro próximo do mercado das start-ups financeiras de base tecnológica confira as previsões da publicação norte-americana:

Insurtech vai tornar-se mainstream e fomentar fusões e aquisições. Dentro do mundo das fintech, os seguros são uma das áreas que estão a sofrer alterações mais lentas. No entanto, a previsão para os próximos 12 meses passa por tornar este universo mais acessível, ou seja, em vez de ir pessoalmente a uma seguradora ou a um mediador, as pessoas vão ter mais facilidade em comprar este tipo de serviços online. Espera-se também que haja um aumento substancial na venda de seguros no espaço da cibersegurança, visto que os hackers têm ferramentas cada vez mais sofisticadas. Este ano vai ainda trazer um crescente interesse por parte das empresas já estabelecidas no mercado em adquirir start-ups de insurtech.

O crescimento dos empréstimos online pode descer, mas as fintechs vão-se adaptar. Ao contrário do universo dos seguros, a área dos empréstimos online já está amadurecida, pelo que os empreendedores que trabalham neste tipo de negócios podem assistir a um abrandamento no crescimento. Contudo, espera-se que as fintech saibam ir buscar receitas a outros veículos. Uma das possibilidades é a criação de plataformas de empréstimos de “marca branca”, disponibilizando assim serviços de desenvolvimento de software a outras empresas. Para além disto, espera-se que as start-ups comecem a automatizar os processos que ainda são feitos por humanos com o objetivo de reduzir o risco de erro e os custos.

As fintech vão ficar privadas durante mais tempo. 2019 vai trazer alguns IPOs (ofertas públicas iniciais) de empresas tecnológicas. Uber, Airbnb e Pinterest são apenas três nomes incluídos nesta lista. Contudo, do conjunto das dez maiores empresas que se podem tornar públicas este ano, não consta uma única fintech. A previsão feita pela Forbes é que continuar com o projeto privado durante mais tempo é um caminho atrativo para as start-ups que operaram neste espaço. Contudo, vão enfrentar mais pressão para assegurar a liquidez.

A utilização das criptomoedas como método de pagamento vai crescer. Os pagamentos com criptomoedas ainda não têm expressão no mercado. No entanto, em 2019, espera-se um maior interesse por parte dos consumidores na utilização deste tipo de divisas. Isto porque a tendência é haver cada vez mais pessoas a ter conhecimento das vantagens associadas à utilização das moedas de troca digitais.

Comentários

Sobre o autor