O turismo equestre é o core business do Abrigo D’Aventura, um projeto situado na região de Aveiro que já captou a atenção dos turistas estrangeiros.

Criada por um Daniel Menezes Leitão, um apaixonado por desporto de aventura e por cavalos, a Abrigo D’Aventura é uma empresa que atua no sector do turismo equestre na região de Carvoeiro, Aveiro, a 45 minutos do Porto.

Com um conjunto de infraestruturas que vão do alojamento, a passeios a cavalo, com um dos 20 cavalos de que dispõe no momento, e diversas atividades ao ar livre, usufruindo do rio Vouga que divide a quinta, a empresa já conseguiu reunir um leque diversificado de visitantes. Como explicou o responsável do Abrigo D’Aventura, a par dos turistas nacionais, os visitantes estrangeiros têm desempenhado um papel fundamental na dinamização do espaço e na divulgação internacional, boca a boca, do mesmo. “Chegámos até aqui com algumas dificuldades mas com muita dedicação fomos conseguindo ser uma referência no mercado nacional e, de há dois anos a esta parte, também em alguns mercados internacionais como Inglaterra, Espanha, França, Suíça, Alemanha e Holanda”, explica Daniel Menezes Leitão. Paralelamente à atividade mais comercial, a empresa também intervêm na aquisição, recolha, recuperação e tratamento de cavalos abandonados, ou em situação alimentar deficiente, que instala na quinta.

Localização privilegiada
O turismo de natureza que associa à vertente equestre é outra das mais-valias da empresa, uma vez que a proximidade ao rio Vouga confere uma localização privilegiada à quinta que serve de base ao projeto e onde os visitantes podem usufruir também, para além dos passeios a cavalo que se realizam em vários percursos, do contacto com a natureza através de outras atividades. Assim, a Abrigo D’ Aventura disponibiliza packs de férias, que envolvem vários dias à escolha dos visitantes e que incluem alojamento, daí a necessidade de reforçar a oferta nesta vertente. Daniel Menezes Leitão já está a recuperar alguns espaços mas planeia construir cabanas de madeira em estacaria, próximo do rio Vougaque divide a propriedade.

Próximos passos
Com a estrutura base montada e perfeitamente operacional, e a quinta livre de ónus, o responsável da Abrigo D’Aventura quer rentabilizar mais o projeto e, para isso, quer investir nas infraestruturas para criar mais alojamento. Ou seja, pretende avançar com a construção de decks e casas de madeira e uma piscina natural que aproveite a água do rio Vouga. A par disso, quer reforçar o número de boxes para poder receber mais cavalos, seja os que são propriedade da Abrigo D’ Aventura, seja para alugar, o que representaria um encaixe financeiro extra para a quinta.

Neste momento, e como a maior dificuldade é aceder a crédito, o responsável do projeto procura um investidor/ parceiro apaixonado pela atividade equestre que queira investir. O valor estimado para implementar as infraestruturas necessárias para dinamizar o projeto ronda os 40 mil euros.

“Estamos fortemente implementados no turismo equestre (turismo normalmente de elites visto a equitação ser um desporto dispendioso) e com isto pretendemos abranger todo o mercado europeu e, ao criar uma equipa de raides a cavalo, tentar também ir ao encontro do mercado árabe onde há muita tradição neste tipo de desporto”, afirma aquele responsável.

Resumo
Responsável: Daniel de Menezes Leitão
Área: Turismo
Produto: Turismo equestre
Mercado: Nacional e internacional
Necessidade: Investimento (40 mil euros).
Contactos:  www.abrigodaventura.pt // www.facebook.com/abrigodaventura
Tel: 915 279 570

 

Comentários