A meu ver um dos objetivos da Link to Leaders passa por procurar colocar em contacto start-ups e investidores. Nesse sentido, e para simplificar a tarefa do meu lado, irei iniciar a minha colaboração com uma indicação do que é para mim um projeto perfeito, quais as caraterísticas de uma start-up que, caso se verifiquem, asseguram de forma quase imediata o investimento.

Naturalmente a aprovação dos investimentos não é feita apenas por mim, mas posso afirmar que será aprovado com alguma confiança dado o grau de perfeição atingido com a verificação destes critérios.

Vejamos:

Equipa, o eterno fator predominante. É difícil enumerar todas as caraterísticas, mas posso começar por pedir mais do que um empreendedor a liderar o projeto, dois ou três elementos será o ótimo. Se possível, que tenham competências complementares, muita experiência no sector / indústria / mercado que estão a endereçar, que até já tenham trabalhado juntos e, já que estou a pedir, que possam ter já liderado outras start-ups no passado e que tenham referências com ligações à nossa rede pessoal que possam atestar todas as suas qualidades únicas.

Em termos da solução procura-se uma base tecnológica sólida e altamente inovadora, que demonstre a capacidade de poder ser escalada rapidamente e com recursos limitados para outros mercados. Pedia ainda para ter um protótipo que possa ser testado. É fundamental poder “tocar” nas soluções e poder ter algo para apresentar que nos permita pedir feedback e opiniões à nossa volta.

Mercado potencial, este é fácil… Tem de ser na ordem dos biliões de euros/dólares/libras, mas pode-se começar numa fase inicial da vida do projeto por explorar apenas “alguns” milhões. A concorrência é que já é um pouco mais complicado, uma vez que é preciso que exista (não conheço ainda nenhum projeto que não tenha concorrência, apesar de ser recorrente indicarem-me o contrário) mas que não seja excessiva, que não tenha muita intensidade e que os principais players não tenham já investido recursos significativos em iniciativas similares. Também é importante que os empreendedores consigam demonstrar que os fatores diferenciadores do projeto determinam que os seus aparentes concorrentes atuais são na verdade “complementares”, “potenciais parceiros” e claro “futuros compradores”.

A prova de mercado track-record, tração, resultados –  é talvez, a par com a equipa, onde irei ser mais ambicioso. Neste campo, no mundo mais digital procura-se projeto a crescer de forma regular e sustentável, dia a dia, semana a semana, mês a mês. Quanto mais melhor. Negócios a adquirir clientes (empresas ou consumidores) com custos residuais, clientes esses que voltam regularmente e utilizam cada vez mais os serviços oferecidos, e que avaliam, inclusive, a qualidade de serviço com pontuações máximas nas diferentes plataformas disponíveis.

Nos projetos que não tenham capacidade de provar o mercado rapidamente (biotecnologia será o exemplo mais imediato), temos de nos adaptar mas não reduzir a ambição. Como tal, foco-me em pedir uma propriedade intelectual estruturada com o caminho da aprovação já percorrido e também resultados fiáveis de testes da tecnologia comparados com os principais standards da indústria ou avaliados por uma terceira entidade com provas dadas.

Para terminar, e para não ser demasiada exigência, gostava apenas de pedir um plano de atividades estruturado, com objetivos claros e sustentados, assim como uma necessidade de investimento em linha com o que nós temos capacidade de colocar nos projetos.

Na verdade, depois de reler o texto acima fico com a sensação de que se os projetos tivessem todas estas caraterísticas muito provavelmente não precisariam de procurar investidores… Mas não custa tentar.

Comentários