O programa internacional de aceleração de start-ups da Prio começou ontem, assim como o concurso de ideias para os colaboradores. Este ano o investimento da empresa para inovação é de um milhão de euros.

A PRIO anunciou ontem o arranque da segunda edição do Jump Start, um programa internacional de aceleração de start-ups, lançado em parceria com a imatch, consultora de inovação que trabalha nas áreas de marketing e empreendedorismo. Em causa estão ideias inovadoras nas áreas de energia, sustentabilidade e tecnologia, uma aposta que a empresa tem vindo a promover nos últimos anos.

As start-ups terão de responder a três desafios concretos: Como integrar postos de abastecimento de energia nas Cidades do Futuro?; Como desenvolver mais soluções de mobilidade sustentável e energia verde?; Experiência do Consumidor 2.0: Como colocar soluções de mobilidade e energia no coração e na ponta dos dedos do cliente?

Tal como sucedeu na primeira edição do Jump Start, também este ano podem concorrer ao programa, até dia 28 de maio, start-ups de todo o mundo. Depois disso serão selecionadas 20 start-ups que irão trabalhar as respetivas propostas num bootcamp intensivo, a decorrer nos dias 14 e 15 de junho. Daqui saíram as 10 finalistas, posteriormente acompanhadas pela PRIO e pela imatch em sessões de mentoria (que culminarão no pitch training), com o objetivo de adaptar as suas soluções inovadoras a negócios como o da PRIO.

As três vencedoras da segunda edição deste programa de aceleração, que serão divulgadas no início de julho, recebem 10 mil euros cada para implementar o seu piloto, além de terem acesso a uma bolsa de implementação com base na avaliação do modelo de negócio e o apoio permanente da equipa PRIO.

Uma das inovações desta edição envolve, na fase de candidaturas, a realização de pitches em carros elétricos, e no avião acrobático PRIO, para os 5 melhores finalistas.

Simultaneamente ao programa Jump Start, a empresa de combustíveis lançou também um concurso de ideias junto dos seus colaboradores. “Acreditamos que obteremos muitos inputs relevantes dos nossos colaboradores, que conhecem como ninguém o negócio e o grupo. Estaremos também a manter o espírito de start-up que nos caracteriza e tê-los-emos envolvidos na geração de novos caminhos de futuro”, explicou  a diretora de Inovação da PRIO, Cristina Borges Correia.

Comentários