O Link to Leaders entrevistou Vítor Soares, CEO da IZIRepair, uma plataforma de reparação automóvel incubada na Startup Lisboa que se assume como a “Uber das oficinas”.

Leva-lhe o seu carro à oficina e permite-lhe fazer a simulação de preços em tempo real. Estas são algumas das propostas da IZIRepair, uma plataforma que promete trazer mais transparência a um mercado que vale cerca de dois mil milhões de euros.

Qual é o modelo de negócio da IZIRepair?
Como ainda estamos numa early stage, a forma de monetização da nossa atividade passa por uma pequena comissão em cada serviço efetivamente executado. Isto é bastante positivo para as oficinas, porque só cobramos quando lhes levamos clientes. Pretendemos ser o agregador de oficinas de referência e ter um papel central nas marcações de manutenção automóvel, e temos a certeza que conseguiremos disponibilizar muitas mais ferramentas no futuro para oficinas, outros players do setor e para os clientes (particulares e PME’s). Naturalmente que parte destas ferramentas se traduzirão em novas formas de monetização da IZIRepair.

A desconfiança no serviço de oficinas é transversal a qualquer condutor. Diria que a IZI Repair está a capitalizar o seu serviço num mercado mal servido?
Todos os setores que se mostram mais resistentes a sair da sombra do mundo offline tendem a ser negativamente percecionados pelas novas gerações de consumidores. As oficinas não são exceção, com a agravante de uma fatura de oficina ser muito mais pesada do que a de um táxi, para pegar num dos exemplos mais mediáticos. Se pensarmos apenas no universo nacional, estamos a falar em cerca de 6 mil oficinas (fora as ilegais), entre reparadores autorizados, redes e independentes. É natural que no meio de tantas oficinas, ainda para mais num serviço em que a maior parte dos consumidores não consegue avaliar a qualidade do serviço realizado, existam muitas que, mesmo prestando um serviço duvidoso, permaneçam de portas abertas.
Para essas, que lutam contra a transparência nas intervenções e respetiva orçamentação/faturação, a IZIRepair representa uma ameaça. Para todas as outras, que acreditamos ser a maioria, a IZIRepair é um aliado no customer care, na orçamentação (automatizada), na angariação de clientes, no posicionamento online, etc.
Mas resumindo, sim: o facto de os clientes percecionarem o setor de manutenção e reparação automóvel como muito pouco transparente, só reforça a necessidade da existência da IZIRepair e iremos aproveitar ao máximo essa lacuna neste mercado.

Como é que garantem que o trabalho feito nas oficinas está ao nível do serviço que querem prestar aos vossos clientes?
Existe uma triagem inicial das oficinas que podem fazer parte da nossa plataforma, baseada em fatores subjetivos, é certo (qualidade aparente e imagem, estrutura de RH, etc.), mas também num conjunto de informação objetiva, tal como a cópia da licença de utilização para operar como oficina, documentos que comprovem que os seguros (de garagista, de responsabilidade civil e multirriscos) estão em dia, acesso a dados técnicos, entre outros.
Depois, naturalmente, os próprios clientes vão avaliar as oficinas que passam esta primeira triagem. Caso se verifique que uma oficina apresenta uma média de avaliações baixa, ou que falhou obrigações contratuais/legais, as condições gerais da plataforma permitem a sua exclusão.
Atenção que a IZIRepair é uma plataforma que facilita o acesso de informação e um agendamento mais simples para os automobilistas, mas, legalmente, o contrato de prestação de serviços continua a ser entre a oficina e o cliente. Naturalmente que temos procedimentos para que esta relação seja o mais eficaz e eficiente possível, levando à satisfação de ambas as partes.

Qual é o público-alvo principal da IZI Repair?
Do lado da procura, o atual alvo da IZIRepair são os automobilistas citadinos com determinadas caraterísticas. Aqueles que têm pouco conhecimento sobre o mundo automóvel, e para quem o carro é meramente um meio de transporte que tem de ser regularmente mantido, na melhor relação preço/qualidade possível; aqueles que têm falta de tempo, ou paciência, para irem a uma oficina (daí a possibilidade dada na plataforma para a recolha e entrega da viatura); ou os clientes habituados a compararem online produtos ou serviços antes de comprar, privilegiando também as marcações online.

Têm recebido feedback dos clientes?
Estamos muito satisfeitos com o feedback que temos recebido, o que indica não só que a nossa plataforma trouxe valor para o mercado, como as primeiras oficinas que “arriscaram” fazer parceria com estes jovens empreendedores têm dado muito bem conta do recado.
No final de cada serviço o cliente avalia três itens relativamente à oficina em questão: pontualidade/cumprimento de prazos, comunicação e qualidade do serviço em si. Numa escala de 0 a 5, o indicador mais baixo é a comunicação com 4,7 pontos! Isto indica bem a satisfação dos nossos clientes com as oficinas parceiras. Mas como queremos sempre mais e melhor vamos sensibilizando as oficinas parceiras para quando a comunicação não decorre da melhor forma (exemplo: sobre o tipo de intervenção necessária, disponibilidade para responder atempadamente, etc), garantindo que a experiência do consumidor com e sem IZIRepair é de facto muito diferente.

Qual foi o papel da Startup Lisboa no desenvolvimento da vossa start-up?
Sinto que entre empreendedores por vezes se levantam dúvidas sobre a necessidade de estar incubado ou passar por programas de aceleração. O que posso dizer é que se não estivéssemos incubados na Startup Lisboa não teríamos os três mentores atuais (Emanuel Proença, da Prio Energy, Rui Dias Ferreira, da Vortal e João Caxaria, da Codacy), não teríamos tido contacto com um conjunto de investidores, não teríamos cooperado com várias start-ups e alumni da incubadora, não teríamos participado em inúmeros workshops sobre temas críticos para o arranque de uma start-up, entre outros. Muitas vezes olha-se para a incubação física da Startup Lisboa apenas como se se tratasse do acesso a uma renda mais baixa para o escritório, mas a soma dos aspetos intangíveis é que faz a diferença entre estar ou não incubado.

Quanto esperam faturar até ao final de 2017?
Dado que lançámos a plataforma apenas no final deste Verão e que ainda estamos a fazer tudo com fundos próprios e com uma linha de microcrédito, não esperamos um resultado operacional significativo já em 2017. Estamos sim focados em ter um rápido crescimento no volume de clientes e serviços, utilizando a nossa margem potencial para fazer campanhas promocionais (dado que o budget para marketing é muito limitado enquanto não tivermos a primeira ronda de investimento). Ainda assim, pretendemos levar aos nossos parceiros, até ao final de 2017, um volume de faturação de pelo menos 75 mil euros.

O que planeiam para o futuro da IZI Repair?
O futuro imediato passa pelo sucesso de uma primeira ronda de investimento, para depois conseguirmos implementar uma verdadeira campanha de marketing, reforçando também os RH ao nível de TI, Marketing Digital e Vendas.

Conheça mais sobre este projeto.

Comentários