O acordo entre a CEiiA e a ABDI visa aproximar as empresas e start-ups dos dois países e vai marcar o início do programa Startup Indústria 4.0.

O Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto (CEiiA), através da sua aceleradora 4Scale, e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) assinaram ontem um Memorando de Entendimento para promover a aproximação entre as start-ups e a indústria dos dois países.
Um dos objetivos da visita da ABDI a Portugal é anunciar o arranque do Startup Indústria 4.0. Serão destinados pelo programa da ABDI até cerca de 1 milhão de euros em investimentos para start-ups selecionadas que desenvolvam soluções com foco em tecnologias de indústria 4.0.

O Programa Startup Indústria pretende selecionar 30 indústrias de grande porte, sendo três delas portuguesas, e 150 start-ups (10% de Portugal). No final, a expetativa  da ABDI é conseguir ter 60 start-ups (seis das quais portuguesas) conectadas às indústrias participantes.

O acordo foi assinado nas instalações do LACS, em Lisboa, num evento promovido pela ABDI, em parceria com a Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil, Atlantic Hub e No Gap Ventures.

Este compromisso insere-se na estratégia desenvolvida pela CEiiA que tem vindo a desenvolver um conjunto de parcerias internacionais com vista ao lançamento de programas que promovam a rápida internacionalização e escalabilidade das start-ups que passam pela sua aceleradora 4Scale.

Maria Miguel Ferreira, Head of Open Innovation do CeiiA, frisou que “um dos parceiros incontornáveis neste trabalho é a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial que gere o maior programa de conexão entre start-ups e indústria do governo brasileiro”.

Por sua vez, Rodrigo Rodrigues, coordenador de inovação da ABDI, explicou que o programa foi lançado em 2016 no Brasil, e que tem conseguido aproximar eficazmente start-ups e grandes indústrias. “As 10 indústrias brasileiras que participaram nas edições anteriores representam, em conjunto, aproximadamente 8% do PIB industrial do Brasil e das 27 start-ups que participaram, 21 continuam a desenvolver projetos com essas indústrias até hoje”, afirmou. A ABDI pretende, agora, internacionalizar este programa e encontrou em Portugal, e na 4Scale e no CEiiA, o parceiro adequado. “O objetivo será aproximar start-ups brasileiras da indústria portuguesa e start-ups brasileiras das grandes empresas da indústria brasileira”, reforçou.

Comentários