Bernardo Gonçalves, fundador da MyPolis, a plataforma para a democracia 4.0, é o nosso terceiro convidado da rubrica Link To Acredita Portugal. O jovem empreendedor partilhou as lições que todos os dias retira deste projeto, as suas fontes de inspiração e o que o motiva.

Criar uma plataforma para melhorar a comunicação entre políticos e cidadãos foi a sua melhor ideia, afirmou Bernardo Gonçalves, fundador da MyPolis. O projeto foi implementado através de um canal digital, uma aplicação mobile e web, para tornar a “política mais apelativa, mais sexy e mais intuitiva para os millennials, nomeadamente”.

Fazer com que daqui a uns meses com a ajuda da MyPolis, pelo menos em algumas cidades em Portugal, os jovens possam participar mais na vida política da sua cidade e os políticos tenham uma ferramenta para fazer “social listening”, e perceberem o que as populações querem e assim criarem juntos cidades mais eficientes e amigas dos cidadãos, é a motivação que mobiliza a equipa liderada por Bernardo Gonçalves.

A inspiração para o projeto teve uma fonte improvável, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa, quando este afirmou “Não podemos querer ter uma economia 4.0 com políticos 2.0”. Dessa frase, a MyPolis tirou a inspiração de “formar políticos 4.0 e cidadãos 4.0” e conectá-los numa plataforma digital, de forma a que possam comunicar e melhorar juntos os problemas de uma determinada cidade.

As conquistas têm-se sucedido no percurso da jovem start-up: venceram o prémio Montepio Acredita Portugal (este ano), o prémio Democracia Digital da representação da Comissão Europeia em Portugal, o Startup Portugal Momentum, entre outros. Mas a maior conquista, lembra Bernardo Gonçalves, é o trabalho em equipa que têm vindo a fazer nos últimos meses. E o facto de ter constituído “uma equipa fantástica de oito pessoas muito motivadas e a trabalhar diariamente para combater este problema que é o afastamento dos jovens da política”.

Aliás, ter começado a trabalhar em equipa, depois de ter iniciado o projeto MyPolis quase como um “one man show”, foi uma lição. “Às vezes é muito fácil dizer que trabalhamos bem em equipa e que somos bons “team workers”, mas a verdade é que aprender a confiar foi uma grande lição”.

A quem começa no mundo do empreendedorismo deixa duas sugestões: preocupem-se em validar comercialmente, desde o início, o produto ou serviço que se estão a desenvolver e procurem trabalhar em equipa porque “as coisas acontecem mais facilmente e, além do mais, é muito mais divertido”.

Veja a entrevista e já agora saiba mais sobre o concurso de empreendedorismo Montepio Acredita Portugal, cujas inscrições estão a decorrer.

Comentários