Três jovens empreendedores conceberam uma aplicação informática para combater o gasto de papel na impressão de faturas. Para colocar a ideia em prática precisam de apoio técnico e consultadoria.

Ricardo Coutinho, Pedro Noronha, finalistas da licenciatura em engenharia de máquinas marítimas, e Gonçalo Cunha, em engenharia eletrotécnica, são três jovens estudantes que, a par da atividade académica, sonham ser empreendedores. Do sonho passaram à prática e criaram uma aplicação para smartphone que permite aos utilizadores armazenar as faturas do dia a dia.

O processo é simples, esclarece Ricardo Coutinho. “Criar um programa nos sistemas de grandes empresas como a Mcdonald’s, o Continente ou o Jumbo, por exemplo, e fazer com que no final o colaborador da caixa pergunte se queremos a fatura em papel ou na aplicação”. Caso o cliente opte pela aplicação, Ricardo explica que “bastaria passar o QR Code da aplicação no leitor de QR Code, que a fatura seria automaticamente transferida, em formato PDF, para a app, e assim reduzíamos o gasto em papel, pois só seria emitida em papel caso a pessoa não quisesse a fatura na app”.

Por outro lado, a app teria um website associado para que fosse possível os utilizadores acederem às faturas através do computador, bastando para isso fazer log-in com os mesmos dados da aplicação.

“É uma ideia que pensamos ter futuro, quer a nível financeiro, quer a nível ambiental, porque é também uma ideia amiga do ambiente e nós preocupamo-nos com o futuro do nosso planeta”, confidenciou o jovem empreendedor. Para passar da ideia à prática necessitam de alguém que invista, mas, principalmente, de “alguém que acredite em nós e na nossa ideia”.

Como tudo começou
Gerente em part-time numa cadeia alimentar de fast food, Ricardo Coutinho rapidamente se deparou com a quantidade de faturas que os clientes recebem todos os dias para, imediatamente, as colocarem no lixo.

A ideia de criar algo que pudesse minimizar esta situação surgiu exatamente da constatação dessa realidade, o consumo excessivo de papel em faturas que os clientes deitam fora. O desperdício ambiental associado a esta prática, sem falar nos milhares de euros gastos anualmente pelas empresas, foi um dos motores da ideia dos três jovens empreendedores. A par disso, a aplicação tem um lado prático de também ajudar na arrumação e organização pessoal, evitando-se a perda de faturas importantes.

Da ideia ao mercado
“Em primeiro lugar, necessitamos de alguém que nos ajude a nível informático/tecnológico, para conseguirmos criar os suportes necessários para a aplicação funcionar. Em segundo, necessitamos que alguém que nos guie nos processos de criação de uma empresa”. Estas são as necessidades imediatas desta equipa de três jovens criadores que querem finalizar a aplicação, e tudo o que ela necessita, para, numa segunda fase, criar a empresa e iniciar os contactos com possíveis clientes.

Modelo de negócio
De acordo com os seus responsáveis, a aplicação desta plataforma é viável em todas as áreas de comércio. Ou seja, pode ser posta em prática tanto ao nível do pequeno comércio, como do grande comércio. No entanto, acreditam que é expectável uma maior adesão das grandes companhias de supermercados ou restauração, por exemplo. “A ideia de negócio passa por assinar contratos anuais ou de longa duração com as empresas, disponibilizando-lhes o nosso software, que terá a capacidade de ligar à aplicação disponível nos smartphones dos utilizadores”, explicam.

Resumo
Responsável: Ricardo Coutinho, Pedro Noronha Gonçalo Cunha
Área: Informática
Produto: Aplicação para guardar faturas
Mercado: Nacional
Necessidade: Investimento, apoio técnico, consultadoria
Contactos:  ragacoutinho@hotmail.com

Comentários