Conheça as categorias de start-ups mais procuradas por uma das maiores aceleradoras do mundo, a Y Combinator, para 2018.

Todos os anos a procura por especialistas em diversas áreas é uma realidade. No ano passado o foco foi, destacadamente, em start-ups de inteligência artificial. Com a generalização deste tipo de tecnologia, a Y Combinator (YC) revelou, agora, as nove novas categorias de start-ups que procura acelerar nos seus espaços.

Desde 2005 que a YC já apoiou mais de 1500 projetos. Este conjunto de empresas totaliza um valor de quase 70 mil milhões de euros. Apesar de a aceleradora procurar por categorias específicas, muitas vezes surpreende-se com start-ups que fogem à regra.

Exemplo disso foi a Airbnb, que se juntou à YC em 2008. Na altura, a ideia de alugar um espaço e dormir em casa de um estranho não era apelativa para muitos, mas a introdução do conceito foi bastante bem aceite no mercado e hoje é uma das start-ups mais bem-sucedidas do mundo.

A lista da YC agrega as 25 categorias mais procuradas. Recentemente acrescentou nove novos conceitos. Percorra a lista que se segue e conheça-os:

Lojas físicas 2.0
Numa altura em que o e-commerce está em alta, a YC está à procura de start-ups que tragam conceitos novos às lojas físicas. O objetivo é encontrar empresas que utilizem o espaço de uma forma mais eficiente e interessante. Utilizar as lojas físicas como complementos às plataformas online é uma das ideias da YC, que dá o exemplo de marcas como a Tesla que utiliza este tipo de espaços como showrooms dos produtos.

Tecnologias que lutam contra a poluição atmosférica
O Acordo de Paris colocou um limite na subida de 1,5 graus Celsius para este século. A substituição da utilização de combustíveis fosseis para energias renováveis pode não ser suficiente para atingir este objetivo.
Para entrar em conformidade com o Acordo de Paris, a YC refere que as tecnologias que anulem a emissão de carbono para a atmosfera podem ser uma solução para contribuir para a qualidade do ar. Acredita que existem dois tipos de soluções para este tema: as naturais, via reflorestação e biochar, e as tecnológicas, como a captura direta dos gases.
Sobre este tema, existe uma start-up indiana, a Graviky Labs, que está a captar gases poluentes e a transformá-los em canetas.

Agricultura inteligente e carne limpa
A tecnologia já nos proporciona a possibilidade de produzir em laboratório carne e leite artificiais, de forma a que não tenhamos de matar ou utilizar animais. Com o aumento da população espera-se que seja preciso mais espaço para o pasto, o que muitas vezes potencia a desflorestação e o aumento da poluição. Filmes como Cowspiracy ou o Before the Flood, de Leonardo DiCaprio, mostram-nos a urgência de implementar mudanças neste domínio. Exemplo disto são os Impossible Burgers, um projeto norte-americano que já contou com o apoio financeiro de Bill Gates.

Bens mais limpos
Os bens, ou commodities, mais limpos também entraram para a nova lista da YC. Segundo o Earth Observatory, com o atual estado de desflorestação, espera-se que as florestas tropicais desapareçam nos próximos 100 anos.

Isto não só é problemático por razões ambientais, como também é difícil para as indústrias que dependem da matéria prima que deriva deste tipo de zonas. Apesar das start-ups já se terem virado para a produção de commodities mais limpas, bens como o óleo de palma e a soja continuam a não ter um substituto, o que poderá ser um problema grave para estas indústrias, visto que a procura por este tipo de produtos tende a crescer.
A Limex, uma start-up japonesa, é um exemplo disto. Esta empresa transforma pedra em papel e plástico para reduzir a desflorestação e a utilização de combustíveis fósseis.

Melhorar a memória
Quando comparada à memória dos computadores, a memória humana é bastante mais volátil. Se por um lado, conseguimos lembrar-nos de emoções que sentimos há 20 anos, por outro é frequente esquecermo-nos onde guardámos o telemóvel há cinco minutos. A infomania, o constante bombardeamento de informação, não contribuem para melhorar a situação. No entanto, soluções simples como assistentes por voz ou wearables podem ajudar a complementar as falhas existentes na nossa memória de curto-prazo. Abordagens mais complexas como interfaces para redes neurais também fazem parte das soluções procuradas pela aceleradora.

Longevidade e antienvelhecimento
As start-ups de biotecnologia estão a ser bastante procuradas. A YC planeia financiar projetos deste género que ainda se encontrem em fases embrionárias de desenvolvimento.
O antienvelhecimento e a longevidade é a primeira área para onde a aceleradora se vai virar. Nesta sector, existe a Ambrosia, uma start-up norte-americana que vende sangue jovem por sete mil euros com a promessa de tornar o recetor mais novo.

Tecnologia contra vídeos falsos
Com o desenvolvimento da tecnologia é cada vez mais fácil falsificar filmagens. Esta “proeza” pode ser conseguida pelo cidadão comum com um simples filtro de um smartphone de última geração. Por esta razão, a YC está à procura de start-ups que desenvolvam tecnologia que permita identificar vídeos falsos.

Apoio aos criadores de conteúdo
A Internet é um ótimo local para dar a conhecer o conteúdo de todo o tipo de criadores. No entanto, ainda ninguém conseguiu descobrir uma forma de ajudar estes creators a viverem da sua arte. O objetivo da YC será arranjar uma alternativa para conseguir anular o intermediário, como o YouTube, por exemplo, que fica com grande parte do dinheiro que vem da publicidade.

Aplicações mobile por voz
No que toca à tecnologia aplicada às casas, dispositivos como a Alexa da Amazon parecem ter bastante recetividade do público. Com isto em mente, e acreditando que existem muitas mais possibilidades para este tipo de tecnologia, a YC está à procura de soluções neste domínio.

Comentários