Um líder, independentemente da posição que ocupa na organização, precisa de ter impacto junto das suas equipas, pares, superiores hierárquicos e clientes. O uso da voz é um elemento-chave em contextos tão diversos como reuniões presenciais, apresentações, discursos, ao telefone ou até por videoconferência.

Ao liderar equipas está sempre em palco e muitas das vezes a primeira vez que se comunica, não é só é a mais importante, como pode ser também a única oportunidade de comunicar com clareza e com o retorno desejado.

Quais são os principais desafios de um líder na utilização da sua voz?

1 – Ser claro no discurso

Um aspeto relativamente simples de dominar, mas nem sempre utilizado, é uma boa dicção. O facto de articular bem as palavras dá tempo de o interlocutor processar melhor a mensagem e de evitar mal-entendidos. Também evita repetir instruções, ouvir expressões como “pode repetir?” ou deixar a audiência com a impressão de desleixo (“pa” em vez de “para”, “tamos” em vez de “estamos” são só alguns exemplos de sílabas que são esquecidas na hora de comunicar com o outro). Dizer bem as palavras também transmite maior controlo e segurança, o que pode ser importante quando comunica com investidores, para a sua equipa ou em processos de negociação.

2 – Transmitir um impacto num curto espaço de tempo

Existem momentos-chave para transmitir uma mensagem com impacto. Seja um encontro de quadros, uma conferência ou uma entrevista televisiva. Quando a voz, a postura e o conteúdo nessas situações estão alinhados, então a audiência fica com uma impressão de confiança e o seu cérebro regista: “acredito nesta pessoa”. Contudo, infelizmente isso nem sempre acontece. Provavelmente recorda apresentações em que o conteúdo era excelente mas a forma como foi transmitido não teve impacto. Estas pequenas (ou notórias) incongruências nem sempre são conscientes, mas deixam a audiência com um sentimento de desconforto.

3 – Escolher a emoção a transmitir

As audiências são cada vez mais distraídas por vários estímulos (por exemplo: notificações nos telemóveis ou nos smartwatches) e por mais do que o orador deseje, a audiência não irá reter tudo aquilo que é dito. Estatísticas indicam que apenas 25%  a 30% é efetivamente retido e processado. Por esse motivo as Ted Talks foram concebidas para durarem até cerca de 18 minutos. Quanto duram as reuniões na sua empresa? Se o conteúdo não estiver indexado a uma emoção (transmitida pela voz) não vai existir seleção mental “ah, isto é importante!”, o que faz com que a informação seja mais rapidamente esquecida.

4 – Evitar o aborrecimento de um discurso decorado

Na hora H não quer falhar. Decorar o discurso de ponta a ponta ou ler as suas notas vai retirar toda a alma do discurso. Além de se ficar com tom de voz robótico e monocórdico, potencia a probabilidade de vir a ter uma “branca”. Selecione as mensagens mais importantes da reunião/apresentação e sublinhe com a sua voz, criando dinâmicas que levem a audiência a prestar mais atenção. Inclua histórias, episódios e exemplos nas suas apresentações que normalmente dão mais oportunidade a maior dinâmica vocal.

5 – Aprender a controlar a ansiedade

A maioria dos líderes refere ter alguns sintomas de ansiedade, principalmente ao falar em público, o que se manifesta na voz a tremer, vontade de pigarrear, volume fraco e tom monocórdico. Conheça a sua voz e pratique em privado. Se só estiver preocupado com a voz no momento de ir falar, os hábitos e a zona de conforto voltam em poucos segundos.

Mais do que projetar autoridade espera-se de um líder moderno uma boa capacidade transmitir confiança e credibilidade. Já pensou no que transmite a sua voz?

Seja um líder. Tenha voz.

Comentários