Quase 80% dos empresários de turismo do Centro de Portugal esperam que os resultados da sua atividade no verão de 2018 sejam iguais ou superiores aos do ano passado.

Este é um resultado preliminar de um inquérito feito aos empresários pelo recém-criado Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal – um projeto apoiado pelo Centro 2020.

O inquérito, que serviu para testar a operacionalidade da nova plataforma, inquiriu os empresários sobre as “Expetativas de evolução do número de clientes/visitantes para os meses de julho a setembro de 2018, comparativamente ao mesmo período de 2017”.

Dos 116 empresários que responderam, 13,8% esperam um resultado “claramente superior a 2017”; 33,6% acreditam num resultado “ligeiramente superior”; e 31,9% preveem um resultado “semelhante”. Menos otimistas estão os 12,1% que aguardam um resultado “ligeiramente inferior” e os 8,6% que antecipam um resultado “claramente inferior” a 2017.

Entre outras iniciativas, o Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal encontra-se em fase de inventário dos recursos e atrações turísticas do Centro de Portugal, em estreita colaboração com os 100 municípios que integram a região. Ao mesmo tempo, está a proceder, junto dos empresários, a um levantamento de todas as unidades de negócio diretamente ou indiretamente relacionadas com a atividade turística.

O Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal é um mecanismo criado pelo Turismo Centro de Portugal com o objetivo de monitorizar todos os aspetos relacionados com o turismo na região, em especial os seus impactos económicos, sociais, culturais e ambientais.

Desenvolvido com o apoio técnico e científico do Instituto Politécnico de Leira (IPL) e apoio tecnológico da Primelayer, empresa incubada no Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, o Observatório é um Sistema de Monitorização da Atividade Turística (SMAT) que cumpre, na íntegra, os requisitos preconizados pela União Europeia através do “European Tourism Indicators System “ (ETIS).
Mas vai mais longe, integrando outros indicadores específicos, para garantir uma aferição adequada da atividade turística da região Centro de Portugal e de todos os seus agentes turísticos: empresas, autarquias, comunidades intermunicipais, população local e turistas/visitantes.

O resultado mais prático será a produção de relatórios mensais, semestrais e anuais, que servirão de orientação para uma gestão de qualidade, baseada no conhecimento, de todos agentes turísticos da região.

Comentários

Sobre o autor

Pedro Machado

Pedro Machado é Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal desde 2013. Doutorado em Turismo, pela Universidade de Aveiro, é Mestre em Ciências de Educação, na Área de Especialização - Psicologia Educacional, pela Faculdade de Psicologia e... Ler Mais