Já lhe aconteceu acabar o gás durante o banho? A Nesto promete fazer desta experiência uma mera recordação. Através de uma balança conectada por IoT, a start-up pretende melhorar drasticamente a logística do gás engarrafado. Tudo a pensar no consumidor final e nas marcas.

A ideia da Nesto nasceu numa reunião de trabalho numa fábrica de cerveja com o responsável da logística. O Michaël Memeteau, então consultor, estava à procura de uma solução que lhe permitisse, a baixo custo, saber exatamente onde estavam os barris vazios

Da cerveja ao gás engarrafado foi um salto, uma vez que Michaël Memeteau reunia uma grande experiência no setor da gestão de frota on-line, nomeadamente na distribuição de botijas de gás.

“Apesar de continuar a pensar que o mercado da cerveja é apetecível, o meu passado com CTO de uma das primeiras empresas de gestão de frota on-line fez-me desdobrar sobre o setor do gás engarrafado (tínhamos bastante cliente que eram distribuidor e usavam GPS para reorientar as viaturas encarregadas da parte logística ao consumidor final)”, explicou Michaël Memeteau, hoje CEO da Nesto.

Segundo este, “é um setor que ainda foi muito pouco tocado pela tecnologia e que ainda tem uma importância significativa na economia portuguesa: mais de metade das casas ainda são alimentada assim, o que representava um mercado de 650 milhões de euros em 2014!”.

A ideia por trás de Nesto é simples: usar uma balança conetada que vai enviar regularmente o peso da botija de reserva. Essa informação é enviada aos servidores da Nesto, que, conjugada com outros dados, como a temperatura, a previsão do tempo, tipo de aparelhos ligado às botijas e outras tendências históricas daquele utilizador, é usada para calcular a melhor rota do circuito de reabastecimento de forma dinâmica.

Já o utilizador final tem acesso através da aplicação da Nesto ao nível de gás que está na garrafa em uso, bem como a possibilidade de indicar o horário preferencial de entrega, automatizar as encomendas e pagar online.

“As marcas que vão adotar o nosso sistema vão ter a vantagem de conseguir mais facilmente manter os clientes deles fiéis à marca, sem contar com outros modelos de negócio que se conseguem estabelecer em cima deste sistema, como gas-as-a service”, apontou Michaël Memeteau como vantagens.

A Nesto conta com dois sócios e parcerias com várias empresas como a Balanças Marques, Marionete, EDP e PRIO, entre outras.

Em fase de piloto e com investimento assegurado, a Nesto pretende agora dar “o máximo enfoque tanto ao consumidor final como a marca, passando também por quem conviva com essa realidade no terreno: os distribuidores”.

Daqui a 3 a 4 meses, a start-up pondera “precisar de capital mais a sério”, altura que corresponderá à chegada dos fundos do IFD – Instituição Financeira de Desenvolvimento para empresa de Venture Capital português.

Como refere o seu CEO, “creio que, fruto do trabalho desenvolvido há mais de um ano, estamos a avançar bastante rápido e temos as principais questões orientadas (parcerias, desenvolvimento de aplicação e de back-end, desenvolvimento de produto, mentores e marketing)”.

No futuro, Memeteau acredita que a tecnologia do gás engarrafado possa ser replicada a outras áreas de negócio: “já falamos da cerveja, mas poderá ser aplicado a outras bebidas e também a gases industriais e medicinais

A Nesto foi uma das sete start-ups que terminou o programa de aceleração de empresas Founder Institute, tendo sido distinguida durante o Get In The Ring, que decorreu em Cascais.

Resumo:
Responsável: Michaël Memeteau
Área: Logística do gás engarrafado
Produto: Monitorização do consumo de gás engarrafado
Mercado: Nacional
Necessidade: Divulgação da fase piloto
Contacto: mmu@nesto.io
Site: http://nesto.io

 

Comentários