Enquanto estava na universidade Erin Henry, agora com 27 anos, decidiu que ia ser a sua própria chefe e não seguir uma carreira tradicional.

A história da jovem australiana Erin Henry pode ser uma inspiração para quem quer criar o seu próprio negócio, livrar-se do horário das nove às cinco e do salário fixo. Numa altura em que ainda não sabia muito bem o que fazer, Erin decidiu que queria tirar um mestrado em relações públicas devido ao seu interesse pela área de eventos.

Durante os estudos em Gestão e Inovação descobriu que a sua paixão se prendia com o mundo dos negócios e que queria criar o seu próprio projeto. Depois de uma aula, onde ouviu falar sobre o potencial que uma marca online pode ter, decidiu começar o seu canal de YouTube.

Determinada a começar a sua própria marca, a agora empresária australiana gravou o primeiro vídeo sobre fitness e saúde com o pouco material técnico que tinha em casa. Este foi o começo daquele que é hoje um império criado a solo pela jovem empreendedora, e que já ultrapassa os 80 mil euros em receitas, em apenas 10 meses. Numa entrevista à publicação britânica Daily Mail a australiana referiu que tudo o que um empreendedor precisa para atingir os mesmos resultados é ter “wi-fi e um sonho”.

O ponto de partida
O começo da história de sucesso foi em 2014, altura em que criou o seu canal de YouTube. Dois anos mais tarde, em maio de 2016, terminou a licenciatura e viu os seus colegas a ingressarem em empresas e a aceitarem trabalhos a tempo inteiro. Uma realidade que não era apelativa à empreendedora, visto que a ideia de trabalhar para alguém não estava nos seus planos.

Com a experiência que adquiriu durante os anos em que trabalhou no seu canal de YouTube e nas restantes redes sociais, Erin adquiriu competências suficientes para abrir a própria agência de marketing digital. Com isto, a recém-licenciada começou a trabalhar em regime de freelancer, enquanto fazia crescer a sua audiência no YouTube, que atualmente já tem mais de 50 mil seguidores.

Mas o caminho da empreendedora nem sempre foi claro. Ainda que o seu negócio estivesse a dar frutos, o facto de ter tido um rumo diferente de todos os seus colegas levou-a a ter medo pelo seu futuro. Mas foi daqui que nasceu o fascínio pelo desenvolvimento pessoal: área para a qual se virou para conseguir encontrar as suas próprias respostas. Os livros que leu sobre o tema e os vídeos sobre mindset que viu fizeram com que o novo desejo da empreendedora fosse tornar-se uma business coach.

Assim que tomou esta decisão, o seu negócio cresceu abruptamente. Admitiu ao Daily Mail que contratou o seu próprio coach e, em fevereiro de 2017, criou o seu projeto atual, o The May Collective.

Deixando para trás os temas de fitness e adotando os temas de desenvolvimento pessoal e de estratégias de negócios, o seu canal de YouTube disparou e a empreendedora começou a receber mensagens de mulheres que a queriam como mentora.

O conceito da nova marca prende-se com a ideia de ajudar mulheres a aumentarem sua audiência utilizando estratégias digitais. Atualmente, o negócio de Erin Henry tem vários canais onde vai buscar receitas: coaching pessoal e em grupo, um e-book e o dinheiro que recebe dos patrocínios e anúncios do seu canal de YouTube.

Para a empreendedora é possível trabalhar com um portátil numa praia no Havai: “só é preciso dar os passos corretos até chegar lá”, afirma.

Comentários