Desde o início do ano que a empresa britânica especializada em etiquetas personalizáveis está instalada no mercado português.

Portugal já faz parte da lista de países onde a My Nametags, empresa de etiquetas personalizadas, está a funcionar. Lars Andersen, fundador da empresa, apostou no mercado nacional depois de entrar na Irlanda, França, Itália, Holanda, Bélgica e Malta. Criou uma versão do site totalmente em português, apoiado por um escritório virtual em Vila Nova de Gaia.

Para conseguir garantir a personalização do serviço, o processo de venda é sempre feito online. Por agora, os recursos humanos concentram-se no Reino Unido, mas a expetativa do fundador do projeto é criar uma equipa em Portugal logo que o negócio o permita.

O público-alvo da oferta My Nametags são, sobretudo, pessoas com grandes necessidade de identificar bens como, por exemplo, roupa, sapatos, brinquedos e material escolar ou de escritório. Um estudo realizado recentemente pela My Nametags concluiu que um indivíduo perde aproximadamente 384 canetas ao longo da vida, ou seja, se cada uma custar, em média, 1 euro isso representa 384 euros perdidos desnecessariamente.

Assim, acabar com o problema recorrente dos objetos perdidos, através da utilização de etiquetas termoaderentes, identificativas e personalizadas, é objetivo da diversidade de soluções propostas pela empresa, e às quais assegura uma garantia de 10 anos.

Lars Andersen, criador da empresa

Para Lars  Andersen a entrada no mercado português é “uma oportunidade de expandir o nosso negócio para a Península Ibérica reforçando, assim, o posicionamento europeu. Temos grandes expetativas com esta aposta em Portugal e consideramos, inclusivamente, no futuro apostar no crescimento da equipa de operações em território nacional”, afirmou o empresário.

 

Comentários